Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Em sua teleconferência de resultados, o Facebook anunciou lucros recordes no segundo trimestre fiscal de 2021. Os números vão na contramão de todo o choro de Mark Zuckerberg contra as alterações de privacidade do iOS realizadas pela Apple.

A rede social continuou arrecadando bilhões de dólares em receitas com publicidade, alcançando US$ 28 bilhões e um aumento de 56% com relação ao ano anterior. Os lucros do Facebook mais que dobraram, de US$ 5,2 bilhões em 2020, para US$ 10,4 bilhões agora.

publicidade

Apesar dos números de seu principal fluxo de receita, o Facebook espera sentir o impacto das regras de transparência de rastreamento de aplicativos da Apple no terceiro trimestre, segundo o CFO David Wehner. “Continuamos esperando um aumento na segmentação de anúncios em 2021 com as mudanças regulatórias e de plataforma, notadamente as atualizações recentes do iOS, que esperamos ter um impacto maior no terceiro trimestre em comparação com o segundo trimestre”.

A revolta de Mark

A Apple revoltou Zuckerberg quando anunciou uma nova política de anúncios e o App Tracking Transparency (ATT) no iOS 14.5, que permite aos usuários decidirem se aplicativos como o Facebook podem rastreá-los ou não. O dono da rede social chegou a apontar a Maçã como sua maior concorrente e realizou diversos ataques à inimiga, inclusive em jornais (de papel) dos EUA, criticando a Apple e se colocando como defensora(?) das pequenas empresas. O Facebook chegou a financiar um estudo atacando a nova tecnologia de rastreamento de apps ao alegar que a proteção à privacidade de dados é uma estratégia da rival para impor medidas anticompetitivas.

Também houve momentos em que o CEO do Facebook minimizou o impacto potencial das mudanças da Apple, dizendo que elas poderiam beneficiar sua plataforma, colocando-a em uma posição ainda mais forte no mercado. Neste meio tempo, um relatório de maio trouxe que apenas 4% dos usuários Apple que atualizaram seus dispositivos mantiveram a permissão de rastreamento de dados para o app da rede social. Além disso, empresas de publicidade estariam diminuindo os seus investimentos na plataforma, alegando que o Facebook já não é tão confiável quanto ao retorno dos seus anúncios.

Essas informações vieram junto com cálculos mais atualizados da Branch Metrics, de apenas 25% dos proprietários do iPhone permitindo a captação dos dados por parte do Facebook. Como resultado, o valor dos gastos dos anunciantes na plataforma móvel da Apple caiu cerca de um terço entre 1º de junho e 1º de julho, fazendo com que os anunciantes gastassem mais dinheiro visando usuários do Android.

publicidade

Além dos números recordes nos lucros, durante a teleconferência de resultados ocorrida ontem (28/07), o Facebook disse que o número de usuários ativos (no Facebook, Instagram e WhatsApp) aumentou 12% com relação ao ano anterior. Segundo a empresa, são 2,76 bilhões de pessoas agora contando como usuários ativos diários.

Via MacRumors

Imagem: Frederic Legrand – COMEO/Shutterstock