Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

A aceleração dos hábitos no uso de tecnologias e dispositivos móveis deu um salto e avançou 3 anos em 1, ou seja, 2020 foi um “divisor de águas” nesse sentido. Foi isso que revelou hoje o relatório The State of Mobile 2021, feito pela App Annie.

Esta avaliação mostra um panorama do impacto na área, apresentando tendências e percepções dos mercados, negócios emergentes e de alto crescimento e ainda pontua exemplos de melhores práticas abrangendo 11 setores e 30 mercados nas Américas, Europa e Ásia.

publicidade

Print Relatorio Ap Pine

É disso que o povo gosta

Segundo o relatório, em 2020 os consumidores gastaram US$ 143 bilhões em apps móveis, um aumento de 20% em relação a 2019. Esses gastos foram alavancados por países como China, Estados Unidos, Japão, Coreia do Sul e o Reino Unido. Esse valor é bruto, e assim também inclui as porcentagens arrecadada pelas lojas de aplicativos.

Também foram anotados 218 bilhões de downloads, com maior prevalência na App Store do iOS, seguido pelo Google Play do Android, além de algumas lojas de aplicativos na China.

O celular superou a TV ao vivo em tempo gasto, sendo que a média no celular aumentou 40%, chegando em 2020 a 4,2 horas diárias, o que representa 20% a mais que em 2019. Sim, é isso mesmo, atualmente, os norte-americanos estão usando mais apps do que assistindo TV. O jogo Among Us foi o game mais baixado do ano na maioria das regiões. O relatório indicou que foram gastas 3,5 bilhões de horas, em telefones Android.

publicidade
Gráfico da média de horas gastas no celular por dia The State of Mobile 2021

Gráfico da média de horas gastas no celular por dia conforme o relatório The State of Mobile 2021 – Crédito: App Annie

O Brasil ficou com o 2º  lugar (4,8) perdendo apenas para a Indonésia (5,2), o 3º lugar ficou com a Índia (4,6) e o 4º com o México (4,4). Os americanos ocupam a 11º posição (3,7)  e gastaram 8% mais tempo no celular do que assistindo TV ao vivo todos os dias. Quem menos fica no celular, de acordo com o relatório, são os alemães (2,6) figurando no 16º lugar.

Monetização

Muitos desenvolvedores de conteúdos, principalmente de games, acumularam ganhos, sendo que 97% monetizaram por meio da iOS App Store com ganhos acima de US$ 1 milhão por ano. Alguns inclusive se beneficiaram do programa de pequenas empresas da App Store reduzindo taxas de 30% para 15%.

Além disso alguns ainda acumularam ganhos em empresas maiores e outras menores, por isso acabaram com dupla monetização, tanto no  iOS App Store quanto no Google Play.

Os gastos com anúncios para celular bateram os US$ 290 bilhões. Já as empresas de telefonia móvel “andam rindo à toa”, pois vêm acumulando crescimento de 27%  desde 2016. Porém em 2020 mais que dobraram em comparação com os 5 anos anteriores, incluindo as empresas de serviços financeiros, transporte, comércio e compras, em especial e-commerce.

Todas as gerações, sejam os chamados Z, Y ou os “baby boomers” passam mais tempo nos dispositivos móveis entre os quais, variando de acordo com a idade: Snapchat, Discord, TikTok, Spotify e Amazon Music.

O mercado de jogos para celular está crescendo rapidamente. Entre os aplicativos de destaque em 2020 os jogos “casuais” de cartas e tabuleiros aumentaram a participação no mercado. Já os games sandbox e arcade dominaram os downloads e ganharam popularidade. O Between Us, foi classificado como o jogo mais baixado seguido por Roblox e Meu Talking Tom: Amigos.

A App Annie, responsável pelo relatório The State of Mobile 2021, é uma empresa de dados móveis e análise que trabalha em parceria com marcas e editores de conteúdos digitais.

Via Apple Insider

Imagem: Gustavo Wandalen/Pixabay