Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Conforme havia anunciado antes, a Realme revelou hoje o ecossistema de dispositivos com a tecnologia MagDart que devem chegar ao mercado em breve. Os produtos inclusive ganharam um trailer. Basicamente, são diversas ferramentas que usam imãs para carregar a bateria ou aplicar acessórios e customizações. Se parece idêntico ao sistema magnético MagSafe da Apple não é por acaso (inclusive no nome), mas a novidade da Realme oferece mais potência na recarga.

publicidade

A fabricante chinesa já apontou, inclusive, qual será o seu primeiro smartphone que carregará a tecnologia MagDart e será o Realme Flash, aparelho que inclusive já apareceu em um teaser oficial.

Carregador MagDart e Realme Flash

Além disso, a empresa também anunciou que o Realme GT poderá se conectar com as ferramentas magnéticas por meio de um recurso que compõe o ecossistema MagDart.

Carregador e base sem fio

Tecnologia MagDart

publicidade

Um dos itens principais do ecossistema MagDart da Realme é a base para carregar a bateria via wireless. Eles foram os primeiros produtos a aparecerem em imagens e vídeos vazados. Conforme visto anteriormente, existem dois modelos. Um deles é cúbico e conta com um cooler na parte debaixo, com 50W de potência fora da tomada, quando conectado ao cabo, o valor sobre para 65W e pode carregar uma bateria de 4500 mAh em até 1 hora.

Carregador MagDart em forma de cubo

Carregador MagDart de 50W (Divulgação/Realme)

O segundo modelo é mais parecido com o da Apple, sendo um disco fino de 3,9 mm de espessura (26% mais fino que o MagSafe) que funciona conectado a um cabo. Sua potência é de 15W, assim como o da concorrente, mas a Realme afirma ser mais potente, já que carrega uma bateria também de 4500 mAh em 90 minutos.

Carregador de 15W MagDart

Carregador MagDart bastante similar ao MagSafe(Divulgação/Realme)

Outra novidade foi o case de fibra de carbone que será o segredo para fazer o Realme GT (que já foi lançado) ser compatível com a tecnologia magnética. Esse case possui a ferramenta MagDarte e usa a entrada USB Tipo-C do celular para se conectar a ele. Assim, o smartphone pode se integrar a esse ecossistema.

Case que integra o Realme GT ao ecossistema MagDart

Case torna o Realme GT compatível com a tecnologia MagDart (Divulgação/Realme)

Um universo de itens

Nitidamente querendo bater de frente com os produtos MagSafe, a Realme também apresentou outros elementos que já apareceram na linha da Apple. Foi revelado uma bateria magnética, bem similar a recém lançada para o iPhone 12, que vem junto de uma base de apoio. Ao conectar a bateria no celular Realme, além de carregar o aparelho, também permite sustentá-lo nessa base.

Imagem da bateria MagDart da Realme

Bateria MagDart que vira apoio (Divulgação/Realme)

A chinesa também revelou uma carteira magnética que adere à traseira do smartphone e permite portar cartões de banco. Ela é feita de couro vegano (provavelmente courino) e tem espaço para três cartões. Além disso, o último item do ecossistema MagDart apresentado pela Realme é um Ring Light (ou Anel de Luz). O acessório se conecta na parte traseira e usa energia do celular para acender a luz que confere um efeito característico às fotos.

Anel de luz da Realme com tecnologia MagDart

Anel de luz com tecnologia MagDart (Divulgação/Realme)

Via The Verge