Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Como previsto, a Huawei anunciou hoje (29/07) o lançamento da sua linha P50, com o modelo normal e o P50 Pro. Pois é, depois de muita demora, finalmente chegou o dia de conhecermos melhor as especificações dos novos dispositivos da empresa chinesa, com destaque para câmeras com zoom híbrido de 200x, já que o visual curioso de lentes traseiras já era nosso velho conhecido por vários vazamentos, inclusive no evento de apresentação do sistema HarmonyOS 2.

Huawei P50 Pro

publicidade

No evento, além de confirmar todos os detalhes dos seus próximos flagships, são à prova d’água e poeira, com certificação IP68, a empresa chinesa mostrou novas versões de seus wearables, a Huawei Band 6 Pro e o Watch GT Pro com ECG.

Huawei P50 Pro

Começando pelo modelo mais avançado, o Huawei P50 Pro aposta alto em câmeras: temos um sensor principal de 50 megapixels com estabilização óptica, além de lente periscópica para zoom óptico de 3,5x. Um terceiro sensor oferece 40 megapixels para captação primária de cor, e há ainda lente ultra-wide de 13 MP.

A adição de um sensor de captação de cores primárias ajuda, segunda a marca, em uma melhora de 103% na captação de luz e 10% em detalhes quando comparado com o P40 Pro. Há também uma tecnologia nomeada de Fusion XD, que traz um sistema de recuperação de dados imagéticos para correções e restauração de fotos.

publicidade

Ao contrário do que muitos podem imaginar, isto não tem a ver com pós-edição — não a promovida pelo usuário. Após o processo de captura, a própria conversão do arquivo na galeria gera algumas perdas importantes de dados. Com esta tecnologia, a Huawei busca reverter essas perdas com novas técnicas de processamento computacional. Resta ver como, na prática, isto se desdobrará.

Mais uma tecnologia proprietária da empresa é a True-Steady Shot. Com ela, e algoritmos, o Huawei P50 Pro, apesar de ter uma telefoto periscópica de 3,5x, pode alcançar 200x de zoom híbrido. A maioria dos flagships super zoom do mercado chegam com lentes de 5x de zoom óptico, alcançando no máximo 100x em modo híbrido.

Montagem com o celular Huawei P50 Pro

Sobre tela, a Huawei colocou no P50 Pro um painel OLED de 6,6 polegadas ligeiramente curvado e com resolução Quad HD. A taxa de atualização alcança 120Hz. Sua bateria é de 4360 mAh, com carregamento rápido de 66W com fios, e 50W de forma wireless. O modelo contará com configurações de 8 ou 12 GB, com 256 ou 512 GB de armazenamento internos. O processador será o Snapdragon 888 ou Kirin 9000, a depender da combinação de RAM e espaço selecionada pelo comprador (e da disponibilidade do processador próprio da Huawei).

Huawei P50

Mais modesto, o Huawei P50 repete alguns aspectos de hardware como processador, mas só está disponível em versões com 8 GB de RAM e no máximo 256 GB de espaço interno. Além disso, as configurações de câmera são distintas: aqui, porém, o sensor telefoto periscópico é de 5x, com 12 MP.

Sua câmera principal também oferece 50 megapixels de resolução, mas não é mencionada estabilização óptica. Há, ainda, lente ultra-wide de 13 MP, e um sensor laser para foco. Com tela ligeiramente menor, de 6,5 polegadas, sua tela é plana, mas também com resolução Quad HD e alta taxa de atualização — aqui 90Hz. A bateria é de 4100 mAh, também com carregamento rápido de 66W e 50W sem fio.

Sem 5G ou Android

Com hardware de ponta, é difícil esperar que o modelo faça grande sucesso mesmo na China. Isto porque os Huawei P50 chegam ao mercado sem suporte a 5G — apesar de oferecem Wi-Fi 6. Isto é resultado de sanções norte-americanas à empresa. Assim, o Snapdragon 888 aqui foi personalizado pela Qualcomm para retirar o modem integrado com suporte a este tipo de conectividade.

Além disso, os celulares oferecem HarmonyOS 2. É um Android que não é Android, ou seja, mais baseado no Android Open Source Project no que nas modificações promovidas pelo Google e posteriormente entregue às fabricantes. De novo, por causa das sanções.

Os preços começam no equivalente a R$ 3.521 (em conversão direta hoje, 29/07) pelo Huawei P50 de 8 GB + 128 GB, e chegam a R$ 6.659 pelo Pro de 12 GB + 512 GB. Vale lembrar, a chinesa também lançou novos vestíveis durante o evento.

Via Sparrow’s News