Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Por conta da crise que se abateu sobre a produção global dos chips depois da pandemia, a Samsung decidiu sair na frente e deve abrir uma nova fábrica de chips nos EUA. E, provavelmente, o projeto de US $ 17 bilhões deve ser instalado em um desses locais: Arizona, Nova York e Texas – este último onde já existe uma fábrica da companhia sul-coreana. Portanto, outros lugares, como Genesee County, em Nova York, e duas áreas no Arizona, perto das cidades de Goodyear e Queens Creek, não estão descartados. Mas, diante de tantas opções, o Arizona pode ter uma certa preferência, principalmente por já abrigar empresas do ramo de tecnologia e com foco em fabricação de chips: a TSMC inaugurou, este ano, uma fábrica de chips de US $ 12 bilhões, e a Intel alocou US $ 20 bilhões para construir duas instalações no estado.

Imagem de uma das fábricas da Samsung: próxima aposta deve ser fábricas de chips nos EUA

publicidade

E os trâmites estão a todo vapor: em documentos apresentados às autoridades locais em Taylor, no Arizona, a Samsung afirmou que sua fábrica irá produzir “dispositivos avançados para serem usados nos produtos da Samsung – chips e semicondutores – e a construção da fábrica pode começar no início de 2022 e terminar no final de 2024”. E mais: a empresa disse, ainda, que a nova fábrica da Samsung nos EUA será responsável por gerar 1.800 novos empregos.

Muitos fabricantes e chips e semicondutores têm buscado de instalar nos EUA justamente pelo fato de que podem se beneficiar de incentivos fiscais e subsídios. Por outro lado, o governo dos Estados Unidos busca maneiras de aumentar a produção doméstica desse tipo de produto. Em junho deste ano, o Senado propôs créditos fiscais para empresas que investem em fabricação e o presidente Joe Biden pediu até US $ 50 bilhões em financiamento somente para as empresas fabricantes de chips. O movimento político reflete uma forma de reagir à escassez de oferta global, pretendendo aumentar a produção doméstica de chips e não depender de chips fabricados na China.

Via: Mobile World Live 

 

publicidade