Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

A novela sobre o cancelamento ou não do LG Rollable, celular com tela expansível, ganhou um novo capítulo nesta terça (23/02), com a fabricante sul-coreana sendo obrigada a negar, mais uma vez, a paralisação da produção do flagship apresentado em um teaser na CES 2021. A informação contraria o que disse um leaker ao site local Chosun Biz, revelando que a empresa até teria iniciado conversas com a BOE, fabricante de telas, para discutir uma forma de compensação pela quebra do contrato.

“Posso negar firmemente que qualquer decisão sobre produtos móveis futuros tenha sido finalizada”, afirmou um porta-voz da LG ao The Verge, mesmo sem citar nominalmente o LG Rollable – até porque o nome não foi mesmo confirmado pela empresa, que trata o smartphone pela denominação “Projeto Explorer”. O comunicado, no entanto, não foi distribuído à imprensa de maneira geral, e isso segue levantando dúvidas sobre o cancelamento do Rollable.

publicidade
Rollable é o futuro. Ou não?

A LG também vive um dilema interno que se expande além de negar o cancelamento da produção do Rollable. A empresa, na verdade, tem uma outra novela em curso, que trata da venda ou não da divisão inteira de smartphones, que vem dando prejuízos consecutivos desde o segundo trimestre de 2015, totalizando impressionantes R$ 24,8 bilhões de rombo nos cofres.

“Você pode saber se deve ou não lançar um telefone extensível depois que a direção dos negócios for decidida”, afirmou uma fonte, atrelando o futuro do Rollable ao curso que a companhia irá seguir em 2021. A ideia da LG é retomar a fatia perdida do mercado com o lançamento do smartphone futurista, mas há o temor de uma nova “furada”, como aconteceu com o LG Wing. O modelo radicalmente inovador, mas caro e com um hardware mais ou menos, acabou sendo um fracasso de vendas, totalizando menos de 100 mil unidades comercializadas.

Como o LG Rollable também seria um smartphone de alto custo de produção, requerendo um projeto industrial novo, os executivos da LG estariam refazendo os cálculos. Segundo eles, mesmo que o Rollable venda mais do que o Wing, teria que alcançar um público grande disposto a pagar 2 milhões de won coreanos (R$ 9.750, na conversão direta) para, desta forma, alavancar as vendas da empresa o suficiente para estancar os prejuízos consecutivos. A LG pode até ter voltado a negar o cancelamento do Rollable, mas, diante de todos esses pontos, será que ele sai ou não? O jeito é esperar pelos próximos capítulos, que certamente sairão por aqui em breve…

Via Nextpit

publicidade