Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Uma audiência no Congresso dos Estados Unidos deverá contar com representantes do Facebook,  do Twitter e do Google para prestarem esclarecimentos sobre campanhas de desinformação em suas plataformas. O Comitê de Energia e Comércio convocou Mark Zuckerberg do Facebook, Sundar Pichai do Google e Jack Dorsey do Twitter para se apresentarem no Congresso no próximo dia 25 de março.

“Quer se trate de falsidades sobre a vacina COVID-19 ou denúncias de fraude eleitoral, essas plataformas online permitiram a disseminação de desinformação, intensificando as crises nacionais com consequências terríveis para a saúde e segurança públicas na vida real”, diz um comunicado divulgado pelo comitê.

publicidade
Política e terrorismo

Essa não é a primeira vez em que as Big Techs precisam testemunhar sobre o uso das plataformas. Em novembro de 2020, Mark Zuckerberg e Jack Dorsey estiveram no senado para falarem sobre as políticas de moderação de fake news durante as eleições presidenciais americanas.

“Por muito tempo, a grande tecnologia não reconheceu o papel que desempenhou em fomentar e elevar informações flagrantemente falsas para seu público on-line. A autorregulamentação do setor falhou. Precisamos começar o trabalho de mudar os incentivos que impulsionam empresas de mídia para permitir e até mesmo promover desinformação e desinformação”, completa ainda o comunicado.

Após a invasão do Congresso, em janeiro, Facebook, Google e Twitter foram acusados de não se esforçarem para impedir o compartilhamento de noticias falsas nas plataformas. Depois do episódio, as três gigantes acabaram bloqueando as contas do então presidente dos EUA, Donald Trump, em diversas redes sociais. A mais emblemática delas foi o Twitter, onde o republicado alegava, sem provas, que a eleição foi fraudada e incentivava seus eleitores a não aceitarem a vitória de Joe Biden no pleito.

A audiência vai acontecer de forma remota no próximo dia 25 de março e terá como foco a desinformação que assola as plataformas online. Congressistas de pelo menos três comitês especiais, de comunicação, tecnologia e defesa do consumidor vão estar presentes presentes.

publicidade

Via Business Insider

Imagem: Anthony Quintano from Honolulu/Wiki Commons