NotíciasFacebook enfrenta onda de protestos na Austrália e pelo mundo

Marina Schnoor3 semanas atrás4 min

O governo australiano está debatendo uma nova legislação para obrigar companhias da Big Tech a compensar meios de comunicação pelas matérias que aparecem em suas plataformas. Facebook e Google dizem que é “impossível trabalhar” com uma mudança assim, e que a lei é injusta para seu modelo de negócio. Em resposta à lei, o Facebook tirou do ar as páginas de notícias da Austrália de seu site, desencadeando protestos por todo o mundo.

A ação do Facebook afetou também jornais do Reino Unido de mesmo nome de jornais australianos, além de serviços de informação sobre Covid-19, organizações de caridade, bancos de alimentos e serviços de resgate que dão alertas sobre queimadas fora de controle. Até a página do próprio Facebook ficou fora do ar, dando a mensagem “não há postagens ainda”.

No Twitter, as hashtags “Delete Facebook”, “Boycott Zuckerberg” e “Facebook We Need To Talk” entraram para os trending topics em protesto pela ação do Facebook na Austrália. David Cicilline, um político democrata de Rhode Island, tuitou: “Se ainda não estava claro, o Facebook não é compatível com a democracia. Ameaçar deixar um país inteiro de joelhos para concordar com os termos do Facebook é uma admissão definitiva de poder de monopólio”.

O parlamentar australiano Scott Morrison disse que a ação do Facebook prova que a Big Tech “se acha maior que os governos e que as regras deles não devem se aplicar a ela”. Morrison acrescentou que “Não seremos intimidados pela Big Tech tentando pressionar nosso Parlamento”.

O Google, que chegou a ameaçar sair da Austrália se a lei fosse aprovada, agora parece ter se conformado com a realidade, e já está fechando acordos com meios de comunicação.

Josh Frydenberg, tesoureiro federal australiano, discutiu a lei com Mark Zuckerberg no domingo, e acredita ser possível chegar a um meio-termo com o Facebook. “Eles estão muito focados no que está acontecendo aqui na Austrália, mas sinto que também estão tentando chegar a um acordo, e isso é bem-vindo”, disse ele.

Via Daily Mail

Imagem: Liam Pozz (Unsplash)