Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

O Twitter decidiu tomar uma ação sem precedentes contra a desinformação na plataforma, visando especificamente diminuir a influência e alcance das fake news nas próximas eleições nos EUA, que estão marcadas para daqui a 8 dias. Assim, a plataforma quer desmentir de forma “preventiva” qualquer tipo de desinformação sobre o processo eleitoral e resultado das eleições no país.

A partir de hoje, o Twitter vai postar avisos de que o usuário pode “encontrar informação enganosa sobre votação pelos correios”, e que “os resultados das eleições podem atrasar”. Assim, as mensagens trazem um link que mostra todos os detalhes no Moments da plataforma.

publicidade
Anúncios explicam os possíveis atrasos causados pela votação pelos correios

O algoritmo do Twitter vai colocar esses “anúncios de utilidade pública” no topo da linha do tempo dos usuários. Da mesma forma, eles aparecerão nos resultados de busca relacionados com a votação e os resultados.

A empresa divulgou recentemente a seguinte mensagem no perfil oficial @TwitterSupport (em inglês), falando sobre fake news:

Tradução: “A Eleição 2020 é como nenhuma outra na história dos EUA. Com tantas pessoas votando pelos correios e a possibilidade dos resultados atrasarem, vamos mostrar avisos na sua timeline e resultados de busca, para ajudar a te manter informado sobre esses tópicos tão importantes”.

O Twitter disse que os avisos visam impedir que a desinformação se espalhe em sua plataforma. Essa não é a primeira ação da companhia visando desmentir fake news relacionadas com as eleições americanas.

Além disso, a plataforma atualizou suas políticas para rotular mais agressivamente tuítes com notícias falsas ou distorcidas sobre o processo eleitoral no país, e disse que pode remover resultados eleitorais não verificados. Da mesma forma, o Twitter criou um centro de notícias com informação confiável sobre a eleição americana.

Em conclusão, não se sabe se o Twitter pretende estender esse tipo de ação contra fake news em eleições em outros países. Nessa questão, seria um grande avanço ver passos do tipo contra mentiras e desinformações serem aplicados em outras redes sociais.