Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

O Twitter se uniu às agências Reuters e à Associated Press (AP), dois dos maiores provedores de notícias internacionais, para combater a desinformação em sua plataforma. Elas ajudarão a rede social a dar mais contexto e informações verossímeis sobre temas que geram um grande volume de tweets.

Em um post oficial, o Twitter anunciou que, com a colaboração da Reuters e da AP, pretende disponibilizar informações mais precisas e confiáveis quando as narrativas sobre um acontecimento estiverem em disputa. A parceria com as agências de notícias busca permitir à equipe de curadoria da rede social aumentar a escala e a velocidade do trabalho realizado atualmente, que inclui a rotulagem de tweets contendo mídia manipulada, desinformação eleitoral e mídia sensível (chocante ou odiosa).

publicidade
Mais contexto em tempo real

Um dos focos desse movimento está em aumentar e melhorar o compartilhamento de contexto, disponibilizando informações confiáveis em tempo real sobre as principais conversas à medida que surgem. A Reuters e a AP servirão como fonte de credibilidade para assuntos em que a equipe de curadoria do Twitter não tem o conhecimento específico ou acesso a reportagens suficientes e confiáveis, servindo como forma de mitigar a desinformação.

A rede social pretende antecipar e identificar proativamente conversas emergentes. “Em vez de esperar até que algo se torne viral, o Twitter contextualizará o desenvolvimento do discurso no mesmo ritmo ou em antecipação à conversa pública”. Além disso, o Birdwatch (sistema de discussão e denúncia de posts com desinformação que foi lançado pelo Twitter no início do ano) usará o feedback da AP e da Reuters como uma forma de avaliar a qualidade das informações levantadas pelos usuários.

O Twitter acrescentou que esse trabalho deve ser independente do trabalho que suas equipes de confiança e segurança fazem para determinar se os tweets estão violando as regras da plataforma. A AP e a Reuters não deverão se envolver nas decisões do app e, durante esta fase inicial do programa, as agências vão se concentrar no conteúdo em inglês. Um relatório de 2020 da NYU Stern sugeriu que o Twitter tem cerca de 1.500 moderadores, com 199 milhões de usuários diários do Twitter em todo o mundo.

Via BBC

publicidade