Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Uma investigação de uma agência de notícias britânica revelou que a Amazon destrói anualmente milhares de celulares, laptops e outros aparelhos eletrônicos. De acordo com o levantamento, todos os dispositivos são destruídos mesmo estando em perfeito estado para esvaziar os estoques da empresa.

Os dados obtidos pela ITV News incluem imagens de um estoque na cidade de Dunfermline, na Escócia, onde diversos produtos são encaminhados para a destruição. O descarte acontece em aterros sanitários e centros de reciclagem.

publicidade

A investigação também obteve informações exclusivas com um ex-funcionário da Amazon, que revelou que a prática é comum nos centros de logística e que a Amazon destrói em média 130 mil itens por semana. De acordo com o ex-empregado, além de celulares, são descartados aparelhos como MacBooks, iPads e até mesmo estoques de máscaras faciais de proteção a Covid-19 são destruídos com frequência, a maioria dos produtos lacrada nas caixas. Confira no vídeo abaixo:

Após a divulgação da reportagem pelo ITV News, outras testemunhas se manifestaram confirmando que a prática acontece em todo o Reino Unido.

Posicionamento da Amazon

Apesar da descoberta, a Amazon minimizou o ocorrido e alegou que destrói um número muito pequeno de celulares em relação ao que é vendido. Em nota, a empresa de Jeff Bezos declarou que as destruições acontecem apenas em último caso, encaminhando as peças para centro de reciclagem, uma vez que a logística para o recall dos produtos para as fabricantes seria muito maior que o custo da destruição.

publicidade

A atitude foi duramente criticada pela comunidade britânica, tendo em vista que muitos destes produtos poderiam ser doados ou mesmo liquidados com preços abaixo do mercado. O escândalo também pode gerar consequências fiscais para a Amazon. Ao saber dos acontecimentos, o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, declarou que as práticas são gravíssimas e devem ser investigadas.

A prática da Amazon também acende um alerta vermelho sobre sustentabilidade, destacando como os níveis de produção do mercado ultrapassam a demanda de consumo da população global A médio prazo, caso não seja repensada, esta escala causará ainda mais danos ao meio ambiente.

Via Android Authority

Imagem: Bryan Angelo/Unsplash