Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

As contas no Twitter da Amazon News e do executivo da companhia Dave Clark começaram a atacar críticos conhecidos do modelo de negócios da empresa na semana passada. Como o Guardian apontou, os tuítes foram uma guinada na retórica mais profissional da empresa, e tinham um tom quase “trumpiano”. Vale lembrar que o atual presidente dos EUA, Joe Biden, autorizou a criação de um sindicato para os trabalhadores da Amazon.

Parece que os ataques da Amazon aos seus críticos foram uma ordem vinda de cima. Jeff Bezos estaria preocupado com cerca de 6 mil empregados de um armazém da companhia no Alabama, que em breve deverão votar se vão se sindicalizar ou não.

publicidade

Quarta-feira passada, Clark tuitou: “convido o @SenSanders para Birmingham e aprecio os esforços dele por um local de trabalho mais progressivo. Costumo dizer que somos o Bernie Sanders dos empregadores, mas isso não está certo porque realmente entregamos um local de trabalho progressivo”. Bernie Sanders está apoiando a sindicalização dos trabalhadores da Amazon.

publicidade

Logo depois, em resposta a um tuíte da senadora Elizabeth Warren dizendo que iria lutar para que a Amazon pagasse sua parte justa em impostos e para diminuir o poder da Big Tech, a conta Amazon News tuitou: “Isso é extraordinário e revelador. Uma das políticas mais poderosas dos EUA acabou de dizer que vai quebrar uma companhia americana para que ela não possa mais criticá-la”. A equipe de segurança da Amazon disse que os ataques aos críticos da companhia no Twitter podem ter sido resultado de “acesso não autorizado”.

Senador Bernie Sanders questiona Jeff Bezos

O senador de Vermont, Bernie Sanders, não deixou o fato da Amazon atacar os seus críticos passar impune. Ele questionou o fato de Bezos lutar tão duramente para impedir os seus trabalhadores de terem acesso à melhores condições de trabalho.

Num tuíte, ele escreveu: “Jeff Bezos, que tem US$ 180 bilhões, está ficando nervoso. Ele tem medo que se os trabalhadores da Amazon do Alabama votarem pela sindicalização, isso dará coragem para trabalhadores de todos os EUA enfrentarem sua ganância e ganharem justiça econômica. Ele gastou milhões contra esse sindicato para manter bilhões só para ele”.

Imagem: Yender Gonzalez (Unsplash)