Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

As mudanças na legislação antitruste nos Estados Unidos podem causar problemas futuros para a Apple. O alerta foi dado pelo analista Ben Thompson, especialista em negócios, tecnologia e mídia. Para Thompson, todo o ecossistema da Apple corre riscos, a menos que a empresa se prepare para fazer algumas concessões.

Em sua análise mais recente, o especialista apontou a App Store como “centro do problema” que pode causar prejuízos para a Apple de acordo com a legislação antitruste. Thompson avisou, com todas as letras, que a empresa “deveria repensar sua abordagem em relação a App Store”.

publicidade

A principal argumentação dos que defendem a nova legislação antitruste, e dos que fazem reclamações direcionadas contra a Apple, é de que a empresa impõe normas em relação a aplicativos de terceiros disponíveis na App Store, mas não a aplica aos seus próprios. Além disso, a taxa cobrada pela Apple de aplicativos como o Spotify, por exemplo (rival direto do Apple Music), é considerada abusiva.

“É por isso, mais do que tudo, que a Apple deveria repensar sua abordagem à App Store. Quanto mais profunda a integração da empresa, mais injustos serão seus limites arbitrários sobre os serviços concorrentes. Não é suficiente que o Spotify nunca seja tão integrado quanto o Apple Music, ou que o 1Password não seja integrado como o Keychain, ou que o SimpleNote só esteja em sua sandbox enquanto o Apple Notes estiver onipresente?”, questionou Thompson.

Problemas na União Europeia e no Japão

Os problemas enfrentados com a nova legislação antitruste nos Estados Unidos não são novidade na vida da Apple. Em fevereiro deste ano, a empresa recebeu o alerta de Margrethe Vestager, Comissária Europeia do Departamento Antitruste da UE, após mais um round da briga com o Facebook. Ela pediu à empresa que “tratasse todos os aplicativos da mesma forma”, fossem eles próprios ou de terceiros.

Mais recentemente, Apple e Google entraram na mira do governo do Japão, que vai abrir uma investigação para averiguar como as empresas americanas negociam com os fabricantes japoneses de smartphones. As investigações devem contribuir para um endurecimento das regulamentações antitruste no país, segundo informações divulgadas no último domingo (13/06) pelo jornal Nikkei.

publicidade
A solução

A solução apresentada pelo próprio analista para a Apple não ter mais problemas com a legislação antitruste, não somente nos Estados Unidos, é aparentemente fácil. O problema, como na maioria das vezes, é que a adoção dessa medida certamente fará com que a empresa diminua sua margem de lucros, e aí pode estar o fator de resistência dos executivos.

Segundo Ben Thompson, “medidas como cortar a comissão da App Store e permitir plataformas de pagamento alternativas para compras no aplicativo podem ser suficientes para satisfazer os legisladores se a Apple agir rapidamente”. Resta saber se a Apple aceitará oferecer essa opção a terceiros e, com isso, reduzir os ganhos, ou seguirá confiante de que a legislação antitruste não poderá causar qualquer dano a ela no futuro.

Via 9to5Mac

Imagem: Zhang Khaivy/iStock