AplicativosNotíciasKoo é a alternativa da Índia para o censurado Twitter

Lucas Soares2 semanas atrás6 min

O aplicativo Koo está ganhando popularidade na Índia, após o Twitter se recusar a suspender contas de jornalistas e ativistas depois de uma solicitação do governo. A nova plataforma é semelhante ao rival americano e está sendo adotada por políticos e influenciadores do país asiático.

O Koo, criado na Índia, tem basicamente as mesmas funções do Twitter. Nele é possível escrever pequenos textos de até 400 caracteres. Também existem hashtags e tendências. Ainda dá para postar fotos e vídeos de até um minuto.

Existem algumas diferenças como o feed dividido em duas seções, sendo uma com pessoas que você segue e outra com usuários populares. Além disso, para fazer o cadastro não é necessário um e-mail, mas sim um número de telefone para fazer a verificação.

O app foi lançado em março de 2020, mas só ganhou força agora após a ofensiva do governo indiano contra o Twitter, quando passou a ser usado por simpatizantes do primeiro-ministro Narendra Modi.

Nesse sentido, a rede social tem semelhanças com o Parler, que passou a ser adotado por membros da extrema-direita após o Twitter restringir postagens de contas que publicavam informações faltas, incluindo a do ex-presidente dos EUA, Donald Trump.

Twitter versus Índia

Nesta semana, o Twitter bloqueou na Índia mais de 500 contas de pessoas influentes de esquerda que apoiam o movimento dos agricultores. Mesmo sem deixar claro o motivo, um porta-voz comentou que a rede social obedece às leis de cada país e, caso as autoridades exijam legalmente a suspensão de contas de usuários, isso será feito.

“Continuaremos a defender o direito à liberdade de expressão em nome das pessoas que servimos e estamos explorando ativamente as opções de acordo com a lei indiana – tanto para o Twitter quanto para as contas que foram afetadas. Continuamos comprometidos em proteger a saúde da conversa que ocorre no Twitter e acreditamos fortemente que os tweets devem fluir”, informou.

Apesar disso, a rede social se manteve firme em sua posição de não banir contas de jornalistas, ativistas e políticos que não violaram regras da plataforma. Autoridades da Índia disseram que vão tomar medidas legais contra o Twitter, em paralelo a isso, políticos pró-governo passaram a usar o Koo.

A polêmica na Índia

Diversos pequenos agricultores se organizaram por meio de sindicatos e movimentos sociais, inclusive com um partido comunista local, para protestar contra novas regras do governo. Os trabalhadores do campo alegam que as leis aprovadas no ano passado favorecem os mercados e põem em risco a subsistência dos pequenos produtores. Como manifesto, se mobilizaram e ocuparam estradas na periferia da capital Nova Delhi.

Os camponeses estão usando as redes sociais para se mobilizarem, com grande repercussão no resto do mundo. Como forma de conter os protestos, o governo da Índia tem exigido bloqueios ao Twitter e pedindo para a população usar o Koo. Além disso, o acesso à internet em partes da capital foi cortado.

Via Reuters