NotíciasTwitter bloqueia mais de 500 contas na índia, mas se recusa a banir jornalistas

Lucas Soares3 semanas atrás5 min

O governo indiano está em guerra com manifestantes contrários a nova reforma agrícola no país. Recentemente espiões virtuais passaram serem convocados para encontrar comportamento antinacionalista na população local. Pouco antes disso, o Twitter suspendeu conta de manifestantes na índia a pedido do estado. No entanto, a rede social, não atendeu ao mais recentemente pedido da administração atual: o de bloquear jornalistas e ativistas políticos.

Para impedir os protestos, o governo chegou a bloquear o a internet em Délhi, epicentro das manifestações. Em mais uma tentativa de censurar a população, o governo solicitou que o Twitter restringisse hashtags e banisse algumas contas. Após uma recusa inicial, a plataforma acabou cedendo.

O Twitter bloqueou na Índia mais de 500 contas de pessoas influentes de esquerda que apoiam o movimento dos agricultores. Mesmo sem deixar claro o motivo, um porta-voz comentou que a rede social obedece às leis de cada país e, caso as autoridades exijam legalmente a suspensão de contas de usuários, isso será feito.

No entanto, o Twitter se recusou a bloquear contas de jornalistas, ativistas e políticos. A plataforma já foi alertada pelas autoridades que vai responder judicialmente. Alguns dos perfis banidos inicialmente foram liberados.

“Continuaremos a defender o direito à liberdade de expressão em nome das pessoas que servimos e estamos explorando ativamente as opções de acordo com a lei indiana – tanto para o Twitter quanto para as contas que foram afetadas. Continuamos comprometidos em proteger a saúde da conversa que ocorre no Twitter e acreditamos fortemente que os Tweets devem fluir”, informou a rede social.

Como tudo começou

Diversos pequenos agricultores se organizaram por meio de sindicatos e movimentos sociais, inclusive com um partido comunista local, para protestar contra novas regras do governo. Os trabalhadores do campo alegam que as leis aprovadas no ano passado favorecem os mercados e põem em risco a subsistência dos pequenos produtores. Como manifesto, se mobilizaram e ocuparam estradas na periferia da capital Nova Delhi.

No Twitter na Índia, o tópico Modi Planning Farmer Genocide está circulando com diversos comentários sobre os protestos e a reação da força policial da capital indiana. Esse é um dos motivos que preocupam o governo do país e, junto de outros fatores, levou o MeitY a ordenar a rede social do passarinho a silenciar a tag e suspender contas.

Os camponeses estão usando as redes sociais para se mobilizarem, com grande repercussão no resto do mundo. Como forma de contar os protestos, o governo da Índia tem agido de forma autoritária, como mostra essa ameaça ao Twitter. Além disso, o governo também cortou o acesso à internet nas periferias da capital.

Via My Smart Price

Imagem: Alok Uniyal (Pixels)