Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Depois de alcançar a incrível marca de 50 milhões de celulares vendidos no mundo no 3º trimestre de 2020, a Realme estabeleceu uma nova façanha: registrou crescimento de 80% no último trimestre do ano. Segundo dados da consultoria Counterpoint, em número de remessas totais do ano, o crescimento da Realme foi e 65% em relação a 2019. A marca acabou contribuindo para a recuperação do setor de celulares como um todo.

A fabricante somou 42,4 milhões de telefones vendidos apenas em 2020 (contra 25,7 milhões em 2019), número que garantiu à empresa, pelo quinto trimestre consecutivo, o título de marca de smartphone com o crescimento mais rápido do mundo. Não custa lembrar que a Realme, criada em 2010 como subsidiária da Oppo, dois anos depois se tornou independente e deu início ao crescimento contínuo, confirmado pelos 80% alcançados no 4º trimestre do ano passado.

publicidade
Líder em crescimento

Como já pontuado, o crescimento de 80% da Realme no trimestre manteve a marca na ponta da tabela entre as que mais se destacaram no período. Na sequência, segundo a Couterpoint, aparecem a Xiaomi, com 17% e 145,8 milhões de celulares vendidos no período, e a Tecno, com 5% de crescimento e 22,8 milhões de dispositivos negociados. Samsung, líder disparada em vendas, com 255,7 milhões de celulares vendidos, Apple, com 201,1 milhões, e Huawei, com 187,7 milhões, têm dados curiosos. Entre as três, apenas a Apple apresentou crescimento no comparativo (3%). Samsung e Huawei, por sua vez, registraram quedas de 14 e 21%, respectivamente.

Dados da Counterpoint apresentaram crescimento da Realme no último trimestre do ano

Counterpoint divulgou os números das principais empresas de celulares

De acordo com Aman Chaudhary, Analista de Pesquisa da marca, os bons números das empresas, como a Realme, mostram que o mercado de celulares está se recuperando após os efeitos negativos da pandemia de Covid-19. “O mercado caiu 10% em 2020 devido ao spread do Covid-19 e os bloqueios resultantes, que impactaram o desempenho no primeiro semestre do ano. Com a flexibilização dos bloqueios, o mercado se recuperou no segundo semestre graças à demanda reprimida sendo atendida pela cadeia de suprimentos simplificada”, pontuou.

“É interessante notar que o mercado também fez uma migração distinta de feature phones [celulares com botões, à moda antiga] para smartphones, uma vez que os dispositivos se tornaram um meio para educação, trabalho e entretenimento. Um forte impulso 5G da indústria por meio da redução dos preços dos dispositivos e das tarifas das operadoras impulsionou ainda mais o processo de recuperação do mercado”, completou o especialista.

O crescimento da Realme pode ficar ainda maior, segundo os executivos da marca. Rotulada de estratégia 1+4+N, a ideia da Realme é lançar no mercado Smart TVs, fones de ouvido, smartwatches, câmeras 360 e muito mais. Tudo para impulsionar ainda mais a já boa fatia de 15% do mercado que a marca possui na Índia e para se manter ao menos no top 5 em vendas de smartphones 5G na China, seu país natal.

publicidade

Via GSM Arena