Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

A Apple virou alvo na Austrália após a Comissão Australiana de Concorrência e Consumo (ACCC) lançar um comunicado à imprensa sobre o perigo que as AirTags representam para crianças. De acordo com a associação, além do sistema de rastreamento das tags ferir a privacidade dos pequenos, o fácil acesso às baterias do dispositivo podem ser prejudicais para a saúde das crianças,

Em nota oficial, a ACCC pede aos australianos que deixem as AirTags distante do alcance das crianças por causa de “questões de segurança” sobre a facilidade de acesso à bateria do produto. As AirTags possuem uma bateria de célula similar ao que vemos em relógios de pulso e pode ser substituída por um simples processo de pressão. De acordo com a ACCC, esta facilidade pode fazer com que alguma criança remova e engula a bateria.

publicidade

A Apple, por sua vez, declara que o design da placa traseira das AirTags é similar ao processo de “apertar e girar” de medicamentos de venda controlada, que também são pensados para evitar o acesso das crianças. Apesar da alegação, a ACCC considera que as medidas de segurança não são suficientes e que mesmo consumidores adultos podem se confundir com o mecanismo, uma vez que o fechamento das placas traseiras das AirTags exige que as tampas estejam alinhadas em um sistema de dobradiças.

De acordo com a ACCC, mesmo se um usuário não inserir corretamente a placa traseira, a AirTag fornece um sinal sonoro que indica que o gadget está seguro para o uso. Esta falha no sistema pode levar os consumidores ao erro.

Medidas de prevenção

Ainda por meio de nota oficial, a ACCC solicita que a Apple passe a destacar o risco das AirTags para a saúde das crianças por meio de um aviso explícito na embalagem dos produtos. Em resposta, a Apple declarou que o design das AirTags segue em conformidade com os padrões internacionais, mas que planeja abordar diretamente as preocupações sobre a falta de um aviso nas caixas dos produtos em breve.

Não há informações do quanto esta campanha da ACCC afetará as vendas das AirTags na Austrália. Durante o mês de maio, um grande varejista do país chegou a remover os produtos de suas prateleiras até que a Apple adequasse os anúncios de segurança dos acessórios.

publicidade

Esta não será a primeira vez que a Apple terá que se adequar a exigências locais para manter as vendas de um produto. No ano passado, alguns países chegaram a forçar que a empresa mantivesse os carregadores vendidos juntamente com o iPhone 12 com a justificativa de que o acessório é fundamental para o funcionamento do smartphone.

Além dos riscos envolvendo as AirTags para crianças, na última semana, a Apple foi alvo de outra polêmica envolvendo saúde. A empresa teve que atualizar os termos de segurança dos dispositivos compatíveis com a tecnologia de carregamento sem fio MagSafe após a constatação de que o sistema de carregamento por bobinas pode afetar o funcionamento de marcapassos e desfibriladores.

Via Mac Rumors

Imagem: Mark Chan/Unsplash