Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Lançado no mercado da China no finalzinho de março, o Mi 11 Ultra, flagship mais poderoso da Xiaomi, apareceu no Geekbench em sua variante global. O vazamento desta segunda-feira (21/01) mostrou que a versão é praticamente igual ao modelo que já está à venda em vários países.

A grande diferença é em relação ao sistema operacional. A versão global do Xiaomi Mi 11 Ultra que foi submetida aos testes do Geekbench já está dotada com o Android 12, possivelmente em sua versão beta. De acordo com a própria Xiaomi, além do modelo citado, Mi 11, Mi 11i e Mi 11X Pro estão disponíveis para o Android 12 Developer Preview Program.

publicidade

Flagrado sob o codinome Xiaomi M2102K1G na plataforma, o Mi 11 Ultra Global anotou 1.116 pontos nos testes single-core, e 2.845 nos multi-core. O desempenho foi bastante similar ao alcançado pela variante tradicional na mesma plataforma, em março. Sob o número de modelo M2102K1C, o Mi 11 Ultra conseguiu alcançar 1.132 pontos no teste single-core e 3.488 no multi-core rodando um processador Snapdragon 888, que já era esperado (o iPhone 12 Pro Max, para comparação, marcou 1.597 e 4.175 na plataforma).

Especificações

Os testes revelaram que a versão global do Xiaomi Mi 11 Ultra testada tinha sob o capô o Qualcomm Snapdragon 888 5G, acompanhado de 12 GB de RAM. As demais configurações não foram vazadas, mas devem seguir o padrão do flagship que já existe no mercado, incluindo a capacidade de armazenamento interno de 512 GB.

O Xiaomi Mi 11 Ultra também apresenta uma tela QHD + Samsung E4 AMOLED, de 6,81 polegadas com resolução de 3200 × 1440 pixels e taxa de atualização de 120Hz. A bateria da versão global, caso a Xiaomi não resolva fazer nenhuma mudança, também deverá ser de 5000 mAh, com carregamento rápido sem fio de 67W. Em termos de design, o principal destaque também seguirá sendo o módulo gigante de câmeras traseiro, que abriga uma tela secundária ao lado das poderosas lentes de 50 megapixels, da de 48 MP e da teleobjetiva com superzoom.

Via 91Mobiles

publicidade