Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Uma das novidades mais impressionantes do Xiaomi Mi 11 Ultra, apresentado oficialmente há uma semana, é o módulo gigante de câmeras, que abriga uma tela secundária ao lado das poderosas lentes de 50 megapixels, da de 48 MP e da teleobjetiva com superzoom. O que ninguém sabia, pelo menos até esta quarta-feira (07/04), é que a tela secundária é, na verdade, uma velha conhecida do público da Xiaomi.

Imagem mostra traseira do Mi 11 Ultra, com destaque para a tela secundária, que é exatamente a mesma da Mi Band 5

publicidade

Lei Jun, CEO da marca, revelou que o acessório é exatamente o mesmo utilizado na confecção da Mi Band 5, pulseira inteligente da Xiaomi. A informação foi divulgada durante a transmissão ao vivo da conferência de primavera da Xiaomi, e flagrada pelo pessoal do site chinês ItHome, que logo espalhou a novidade. Lei Jun, no entanto, não explicou o porquê de ter adotado tal estratégia, tampouco se os visores utilizados no flagship foram retirados de lotes de wearables que acabaram não sendo vendidos.

Múltiplas utilidades

A tela da Mi Band 5, transportada para ser a secundária do Xiaomi Mi 11 Ultra, tem 1,1 polegadas e é AMOLED. Ela serve para exibir notificações e tem outras funções bastante interessantes para o usuário. Por meio da tela secundária, o dono do Mi 11 Ultra pode controlar a mídia do aparelho, verificar hora e nível de bateria, espelhar a tela principal na hora de tirar uma selfie e muito mais.

Imagem mostra Mi Band 5, que cedeu sua tela para a fabricação do flagship Mi 11 Ultra, da Xiaomi

Mi Band 5 “cedeu” a tela ao Mi 11 Ultra (Divulgação)

Enquanto a tela da Mi Band 5 ganha uma sobrevida no Mi 11, a nova geração da pulseira inteligente se prepara para conquistar o mercado. No mesmo evento em que o poderoso flagship foi anunciado, a Xiaomi também confirmou novidades preparadas para a Mi Band 6, nova geração do wearable.

Ela terá uma tela maior, de 1,56 polegadas, AMOLED e sensível ao toque, gerando um crescimento de quase 50% do painel para exibir mais informações sobre atividades físicas. A resolução é de 152 x 486, resultando em uma concentração interessante de 326 DPI. Por dentro do hardware a principal novidade é o sensor de oxímetro (SpO2), que apesar da sua presença na Mi Band 5 chinesa, não chegou à Mi Band 5 global. O rastreamento de atividades pode iniciar até seis atividades distintas automaticamente só pela movimentação de sensores no pulso do usuário. As vendas começaram no dia 29 de março, com preço equivalente a R$ 200.

publicidade

Via Android Community e GizmoChina