Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

No ano passado, publicamos que a Apple estava deixando claros os seus planos para a autonomia com relação a modem para iPhones. Essa movimentação, segundo as expectativas da época, estaria diretamente vinculada ao fim do contrato de 6 anos assinado com a Qualcomm, vigente até o ano de 2025. Assim, tudo indica que o iPhone 13 terá um modem Qualcomm, como previsto, mas para as próximas gerações, tudo pode mudar.

Como embasamento para os propósitos da empresa de Tim Cook nesse sentido, também podemos adicionar a compra da divisão da Intel responsável por modems para celular, ocorrida em 2019, por US$ 1 bilhão (algo próximo a R$ 5,24 bilhões, em valores convertidos hoje). Na época, o movimento foi considerado um reforço importante para o desenvolvimento de um modem interno da Apple e um fator relevante para a empresa se diferenciar ainda mais no mercado.

publicidade

Agora, segundo traz Ming-Chi Kuo, um dos mais relevantes informantes do mercado tecnológico (principalmente quando se trata da Apple), a Maçã poderá adotar um modem 5G próprio já em 2023. As impressões de Kuo seguem a mesma linha do que apontaram recentemente Blayne Curtis e Thomas O’Malley, analistas do Barclays, a respeito de desenvolvimento de um modem Apple para iPhones para dois anos, capaz de oferecer suporte para sub-6 e mmWave 5G.

Investimento em P&D na Alemanha

Outro fator importante a respeito do empenho da Apple no desenvolvimento de P&D (Pesquisa e Desenvolvimento) que possa trazer modems 5G próprios para a realidade da empresa está no investimento feito em sua fábrica da Alemanha. A Maçã anunciou uma expansão na unidade de Munique, juntamente com investimentos adicionais em P&D na faixa de 1 bilhão de Euros (quase R$ 6,36 bilhões em conversão direta hoje) durante os próximos três anos.

Para o ano que vem, os smartphones da empresa manterão em sua composição os modems da Qualcomm, sendo esperados o modem 5G Snapdragon X65 e, em seguida, o Snapdragon X70 para gerações de iPhones após o iPhone 13 que, muito provavelmente, terá como modem o Snapdragon X60. Nesse sentido, o ano de 2023 já teria um modem Qualcomm “garantido”, no caso de um modem Apple ainda não estar disponível.

Kuo acredita que essa possibilidade desenhada agora forçará a Qualcomm a empurrar os modems 5G com mais força para os segmentos intermediários e até mesmo para iniciantes, buscando compensar as vendas perdidas. Os negócios com a Apple impulsionaram as vendas da empresa no ano passado (e também nos últimos anos).

publicidade

Via GSMArena e MacRumors

Imagem: Jian Fan/iStock