Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Quando se fala em cibercrime, o imaginário corre direto para aquela figura do cara atrás de várias telas, teclando ininterruptamente para passar por cima de um firewall e aplicar um grande golpe. Não é de imediato que vem o celular como alvo dos ataques virtuais. Afinal, por que hackers estariam interessados justamente no meu smartphone?

Uma pesquisa da empresa de segurança digital Checkpoint avaliou que, só no ano passado, 46% das empresas tiveram pelo menos um funcionário baixando um app malicioso no celular. E ainda, 97% das empresas enfrentavam ameaças digitais diretamente ligadas ao mundo móvel, que vão desde vulnerabilidades nos sistemas operacionais até falhas em aplicativos e redes. É justamente porque o celular é tão indispensável no nosso cotidiano que ele se tornou tão visado.

publicidade

Feito para te vigiar

Muitas são as coisas que tornam o smartphone um aparelho tão visado pelos cibercriminosos: acelerômetros, microfones, câmeras e sensores de movimento fazem do celular uma caixa de ferramentas para os dias atuais. A pandemia, que ampliou ainda mais o uso de smartphones, também ampliou o interesse dos hackers neles. É o dispositivo que concentra nossas compras, conversas, imagens e identidade no mundo digital.

Além de detectar movimentações, os celulares tendem a guardar todos os nossos dados sensíveis, que vão desde senhas de e-mail até informações bancárias. Mais ainda, o aspecto móvel do smartphone faz dele uma ameaça ainda maior. Malwares que infectam aparelhos pela rede passam a infectar todos os dispositivos conectados nas conexões futuras.

Como os celulares podem abrir brechas

Uma das formas que colocamos nossos smartphones em risco está nos apps que utilizamos. Tendemos a achar que aplicativos das lojas virtuais do Google e da Apple, por serem verificados, são necessariamente seguros. Nem sempre isso é verdade. Outro relatório da Checkpoint apontou que aplicativos legítimos da App e Play Store estavam instalando trojans bancários nos aparelhos.

Mais ainda, a própria visita a páginas erradas podem te levar a invasão do seu dispositivo. Um relatório da TrendMicro revelou que usuários de iOS foram vítimas de roubo de dados após entrar num site de notícias hackeado.

publicidade

Por fim, a obsolescência (programada ou não) também pode colocar seus dados em risco. A não atualização de aplicativos e sistemas operacionais, como o Android 11, faz com que brechas descobertas pelos hackers tornem smartphones antigos mais fáceis de serem infiltrados.

Como proteger seu smartphone de hackers

Felizmente, há muito o que pode ser feito pelos usuários para protegerem o smartphone de hackers. Em primeiro lugar, é interessante pensar num antivírus para celular que te ajude a manter uma navegação segura. Segundo, se o seu celular apresentar suspeitas de ter sido hackeado, é possível limpá-lo para se proteger dos malwares.

Além de cuidar do seu aparelho, é importante que você saiba também boas práticas de uso do seu celular. Por exemplo, manter as senhas atualizadas e protegidas. Além disso, é importante tomar cuidado com as redes que acessa.

Via Traced

Imagem: Sora Shimazaki/Pexels/CC