Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

A Motorola já lançou a nova linha Moto G no Brasil com os G10, G30 e G100. Adotando estratégia similar à da Samsung com a linha de intermediários A, tudo indica que mais aparelhos estão chegando: o Moto G60 e o G40 Fusion, que acabam de aparecer no Geekbench, uma conhecida plataforma de benchmarks. Além disso, o G60 já foi homologado no Brasil pela Anatel, então é só uma questão de tempo até aparecer por aqui.

De acordo com o Geekbench, os próximos lançamentos utilizarão o mesmo chip, um Snapdragon 732G. Eles se diferenciarão por outros aspectos de hardware: o Moto G40 Fusion deverá ter 4 GB de RAM, e o G60 6 GB, por exemplo. Curiosamente, mesmo com menos memória, o G40 conseguiu alguns pontos a mais nos testes: 519 e 1.425 conta 515 e 1.375. Com Android 11 de fábrica, os modelos já tinham vazado ontem através do insider Mukul Sharma.

publicidade

Ele informou que ambos os smartphones deverão ter tela HDR10 com taxa de atualização de 120Hz. A bateria seria de 6000 mAh, sem informações sobre recarga rápida. Sobre o conjunto de câmeras, o G40 Fusion teria um triplo na traseira, com sensor principal de 32 MP contra 108 MP do G60. As câmeras frontais teriam 16 e 32 MP, respectivamente.

G40 Fusion vem para o Brasil?

Enquanto o Moto G60 dá fortes sinais de que chegará ao Brasil, não se pode dizer o mesmo sobre o G40 Fusion. Não seria inédito se um ou outro modelo da família não desembarcasse por aqui. É muito cedo para dizer. Mas comparando ambos, parecem um pouco redundantes para chegarem ao mercado de forma simultânea.

Vale lembrar que com a desistência da LG quanto a celulares, se desenha um bom momento para concorrentes crescerem em participação de mercado. A maioria das fabricantes Android possui linhas de intermediários e de aparelhos de entrada, caminho pelo qual poderão tirar a considerável fatia de 6,5% da sul-coreana por aqui.

Via My Smart Price

publicidade