Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

A tecnologia UTG (Ultra Thin Glass, ou vidro ultrafino) será responsável por cerca de 80% das camadas protetoras flexíveis para proteger as telas dobráveis nos dispositivos que serão lançados até 2025. É o que aponta a UBI Research, uma empresa coreana de pesquisa de mercado. No relatório, coletado pelo site local The Elec, o polímero poliimido (PI) estará nos outros 20% dos dispositivos.

A Samsung, que possui uma tecnologia própria de desenvolvimento de vidro ultrafino, lançará seus smartphones dobráveis somente com seu UTG. Mais que isso. Como publicamos no início do ano, empresas chinesas como a Oppo, a Vivo e a Xiaomi deverão usar as telas OLED com vidro ultrafino da Samsung Display, o que também é reforçado na pesquisa da UBI Research.

publicidade
iPhone dobrável também poderá usar UTG

Outro movimento apontado é de que fabricantes chinesas de telas à base de tecnologia poliimido para dobráveis, como a BOE e a TCL, com sua China Star Optoelectronics Technology (CSOT), estarão alimentando o mercado de UTG. Um dos fatores mais relevantes a respeito de custos estará na demanda, principalmente com relação aos dobráveis da própria Samsung e da Apple.

A Apple pode entrar de vez no segmento de smartphones com essa tecnologia flexível nas telas. Uma das empresas cotadas para fornecimento desse recurso do iPhone dobrável é a LG Display, ou poderá haver uma parceria entre as duas empresas e a própria Samsung.

O PI será útil para aparelhos mais em conta, ou até mesmo para dispositivos que tenham telas com tamanho acima de 10 polegadas, segundo a UBI Research. O material foi usado pela Samsung no primeiro Galaxy Fold, mas foi substituído pelo vidro ultrafino. Além da Samsung estar obtendo resultados muito importantes com sua tecnologia UTG, havia a delicada situação geopolítica entre Japão, responsável por mais de 70% da produção mundial de poliimida de flúor, e Coreia. Disputas diplomáticas entre os países vez ou outra ameaçam a exportação de materiais para a fabricação de smartphones, como aconteceu em 2019.

Enfim, muito possivelmente, quando você estiver diante de um novo celular dobrável nos próximos anos, as chances de haver uma proteção de vidro ultrafino na tela serão muito grandes. Assim como a tendência da criação de dispositivos com telas flexíveis pode ter chegado para ficar, até mesmo em smartwatches.

publicidade

Via The Elec