NotíciasHuawei pensa em vender série Mate

Ronnie Mancuzo1 mês atrás5 min

Uma semana após Trump aumentar o nível de sanções contra a Huawei, chegam informações sobre a fabricante estar disposta a vender suas séries P e Mate. De acordo com a apuração da agência Reuters, movimentações nesse sentido já estão ocorrendo desde setembro de 2020. Um consórcio liderado por firmas de investimento apoiadas pelo governo chinês seria o possível comprador, em uma negociação semelhante à que aconteceu com a marca Honor.

Os smartphones de primeira linha da empresa já têm encontrado complicações para se manterem em atividade. Boa parte em virtude dos chips Kirin, que se tornaram bastante escassos para a empresa diante da proibição dos fornecedores venderem peças e tecnologia dos EUA para a fabricante da China. A divisão HiSilicon, da Huawei, depende de software de empresas americanas para projetar seus chips e terceiriza a produção para a TSMC, que usa equipamentos de empresas americanas.

Fugindo das sanções

Ainda é bastante incerta uma alteração nos movimentos de mercado diante do cenário de guerra comercial. A Huawei pode não encontrar tanta tranquilidade com a troca de Trump por Biden e suas atividades no mercado de smartphones poderão permanecer encontrando obstáculos consideráveis nos próximos dias. Uma negociação aos moldes do que aconteceu com a Honor pode ser uma solução bem viável, tendo em vista os negócios que a ex-subsidiária da Huawei vem construindo ultimamente.

Segundo a consultoria IDC, um importante fornecedor global de inteligência de mercado, as séries Mate e P da Huawei alcançaram US$ 39,7 bilhões entre o terceiro trimestre de 2019 e o terceiro trimestre de 2020. Um valor importante que também justifica um possível interesse do governo chinês em participar de uma solução para a fabricante e suas marcas. Entretanto, segundo o site Reuters, o governo da China disse não estar ciente da situação, e um porta-voz da empresa afirmou que a Huawei não tem esse plano.

De qualquer forma, as informações trazidas também dão conta de que, em se concretizando a negociação, a Huawei deverá manter sua atual equipe de gerenciamento após vender suas séries P e Mate na nova entidade. As duas marcas foram responsáveis por quase 40% das vendas totais da fabricante no último trimestre de 2020, segundo a Counterpoint, outra empresa importante nas métricas de mercado global.

Via Reuters