Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Nos últimos dias de seu mandato, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ainda deu mais um passo na guerra comercial com a China, banindo transações em dinheiro em alguns apps chineses por um período de 45 dias. Quando o prazo expirar, ele não estará mais no cargo.

Na decisão, Trump deixa a cargo do Departamento de Comércio dos EUA classificar que tipos de transações estão proibidas nos apps chineses. Os principais aplicativos atingidos pela proibição são os QQ, QQWallet e We Chat Pay, todos da gigante Tencent. Ainda não se sabe se as restrições vão afetar os populares jogos da empresa, como o PUBG Mobile, o Call Of Duty: Mobile e o Arena Of Valor.

publicidade

Integram ainda a lista o WPS Office, o CamScanner, o SHAREit, o VMate e o AliPay, que faz pagamentos pelo Ant Group. Outros aplicativos ainda podem entrar para a fila.

Guerra comercial

De acordo com Trump, esses apps chineses colocam em risco os dados dos americanos e restringir transações financeiras é uma forma de limitar a atividade desses serviços no país. Seu governo foi marcado por uma intensa disputa com o país asiático, com banimentos e bloqueios.

“Eu defendo o compromisso do presidente Trump em proteger a privacidade e a segurança dos americanos contra as ameaças do Partido Comunista Chinês”, disse o secretário de Comércio, Wilbur Ross.

A medida é mais uma restrição de Trump contra empresas chinesas. No fim de 2020, o governo já havia barrado investimentos de companhias dos EUA na China. Um decreto assinado na época proíbe a aquisição de ações de 35 corporações chinesas por investidores americanos.

publicidade

Outra empreitada do quase ex-presidente americano foi contra o TikTok. A rede social tem um prazo para ser vendida antes de ter seu funcionamento banido no país. Por enquanto, o imbróglio referente ao app de vídeos ainda não está resolvido.

Via Reuters

Foto: Evan El-Amin/Shutterstock