Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Uma nova era de controle de computadores pode ser inaugurada com um dispositivo criado por pesquisadores da Universidade da Califórnia em Berkeley, EUA. Trata-se de um aparelho vestível que usa sensores e software de inteligência artificial que detectam quais gestos uma pessoa pretende fazer, antes de terminar.

A ideia é tornar possível haver um melhor controle de próteses e interação com dispositivos eletrônicos. Além de interação com computadores e acionamento de ações sem uso de teclado e mouse, o aparelho que detecta gestos das mãos pode ser utilizado em outros tipos de tarefas. Jogos sem uso de joysticks, dirigir veículos sem necessidade de volante e até mesmo auxiliar pessoas amputadas a realizarem atividades diversas.

publicidade
Qual é o segredo?

A equipe de Moin criou uma braçadeira flexível que lê e reconhece padrões gerados por sinais elétricos captados por chips alocados em 64 pontos no antebraço do usuário. Após a captação e o reconhecimento, o dispositivo associa então os sinais processados com gestos de mãos específicos, 21 ao todo, incluindo polegar para cima, punho cerrado e mão espalmada.

Um vídeo do canal oficial da Universidade da Califórnia em Berkeley apresenta mais sobre a criação:

Os trabalhos de pesquisa e testes exigiram que os usuários usassem a braçadeira durante os gestos que eram feitos. O algoritmo de inteligência artificial avançada, chamado de algoritmo de computação interdimensional, era atualizado com novas informações a cada ação realizada. Isso permitia que o aparelho detectasse corretamente os gestos das mãos, mesmo que o braço do usuário estivesse suado ou acima da cabeça.

publicidade

Segundo Ali Moin, estudante de doutorado da universidade californiana, a interação humano-computador pode ser melhorada usando câmeras e visão computacional, mantendo a privacidade do indivíduo, como é o caso do dispositivo criado. O aparelho que detecta gestos das mãos ainda não está pronto para comercialização, mas os pesquisadores responsáveis acreditam que, com alguns ajustes, ele logo estará.

Via SlashGear