Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Novos dados indicam que a Apple estaria tendo dificuldades para atender a demanda dos pedidos dos novos iPhone 12 Pro e iPhone 12 Pro Max nos Estados Unidos, China e Europa. Clientes estariam esperando até 27 dias para receber os aparelhos.

Uma análise feita pela empresa de investimentos JP Morgan comparou o prazo de entregas dos celulares como um medidor para saber o quão bem eles estão vendendo. O resultado mostra que o tempo que leva para um cliente receber os modelos iPhone 12 Pro e Pro Max é consideravelmente maior que o de outros aparelhos da linha, como o iPhone 12 e o iPhone 12 mini.

publicidade

Nos Estados Unidos, país detentor de 35% das remessas globais de iPhone, o tempo de entrega de um iPhone 12 Pro pode durar até 27 dias dependendo da região. Enquanto isso, os iPhone 12 mini chegam em apenas três dias. Nesta lógica, a demanda do iPhone 12 Pro seria a mais alta da fabricante.

O levantamento também mostra que, por outro lado, o prazo de entrega para compras de iPhone 12 mini e iPhone 12 padrão diminuiu, o que também indicaria certo equilíbrio entre a oferta dos aparelhos e a demanda dos clientes.

Tamanho também interfere na logística

O relatório da JP Morgan ainda apresenta indicadores sobre a demanda dos iPhone 12 Pro em outros mercados. Na China, os aparelhos podem levar até 33 dias para serem entregues, sendo que todos os modelos da linha iPhone 12 já não estão disponíveis para retirada em lojas físicas.

A indisponibilidade também atingiu as lojas de algumas regiões da Europa, de modo que a demanda de um iPhone 12 Pro em países como a Alemanha e o Reino Unido apresenta um prazo de até 23 dias para a entrega dos aparelhos.

publicidade

Embora a lógica da JP Morgan apresente certo sentido, mensurar se as vendas de um aparelho estão indo bem ou não de acordo com a sua demanda pode não ser um método tão confiável.  É preciso considerar que os iPhone 12 Pro Max são consideravelmente maiores que os outros modelos da linha, comparado a caixa do iPhone 12 Pro Mini, por exemplo. A logística para o seu transporte exigirá mais espaço e menos aparelhos por remessa.

Além disto, é preciso considerar como está a disponibilidade de peças para tais aparelhos. A pandemia de coronavírus interferiu na produção em escala global, de modo que muitas fabricantes tiveram que buscar alternativas e até adiar seus lançamentos, incluindo a Apple.

Deste modo, não é possível afirmar apenas pela demanda se aparelhos maiores como o iPhone 12 Pro foram mais bem sucedidos que as suas versões menores. O jeito é esperar os resultados divulgados pelo próximo balanço da Apple.

Via: Apple Insider