Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

A Apple divulgou nesta segunda-feira (30/11) a contratação de Josh Elman, um antigo executivo do mercado de tecnologia dos Estados Unidos para a chefiar uma divisão com foco na descoberta de aplicativos de usuários da App Store.

A ideia é que a equipe de Josh se concentre na criação de estratégias para otimizar as experiências dos usuários Apple, por meio da inovação no sistema de recomendações da App Store. O executivo é conhecido no mercado por decisões assertivas, tendo investido em vários projetos que se tornaram verdadeiros sucessos entre os usuários de iPhone.

publicidade

A opção de Josh ao cargo da App Store teria relação com o fato de o executivo ter sido um dos principais responsáveis pelo crescimento das empresas SmarThings – responsável pela criação de tecnologias para smart houses e posteriormente vendida para a Samsung,  e a desenvolvedora de jogos HouseParty, vendida para a Epic Games – empresa que também é responsável pelo Fortnite, e que processa a Apple.

Para assumir o posto de inovação da App Store, o executivo deixará a cadeira do conselho de outras grandes empresas da tecnologia, como o Discord e a plataforma de blogs Medium.

O executivo comentou a contratação em sua conta no Twitter:

“2 / Estou me juntando à Apple para trabalhar na App Store e ajudar os clientes a descobrirem os melhores aplicativos para eles”, comentou.

Cargo busca a aproximação da Apple com outras empresas

Nos últimos anos, enquanto Josh esteve no conselho,  o Discord deixou de ser apenas um aplicativo de mensagens para jogos e se tornou em uma verdadeira rede social, crescendo consideravelmente o número de usuários e servidores ao redor do mundo. Já a rede social de blogs Medium segue tentando se encaixar ao grande público, de modo que sua popularidade ainda é restrita a usuários mais focados em tecnologia.

De acordo com a Bloomberg, com a chegada de Josh, um dos objetivos do setor da App Store seria estreitar o relacionamento da empresa com outras desenvolvedoras. O executivo serviria como ponte para que conflitos vistos nos últimos anos com empresas com o Spotify, Microsoft e Fortnite não se repitam.

Via: Bloomberg