Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

O Apple Music prometeu ainda no primeiro semestre música Hi-Fi e som espacial (Dolby Atmos) no seu serviço. Cumpriu a promessa no começo de junho, ao menos no iOS, e no Android implementou as novidades na versão beta. Ao contrário de parte da concorrência, a empresa não cobrou mais pela alta qualidade de som. Agora, se você usa o Apple Music no Android e não quer utilizar a versão mais instável do app, a boa notícia é que ele foi atualizado e passou a contar com Hi-Fi e Dolby Atmos também na versão pública.

A atualização está sendo distribuída via Play Store, e nas notas da versão é possível conferir as novidades com detalhes. O usuário contará com a possibilidade de escutar ou baixar as músicas em AAC (formato da Apple), Hi-Fi, ou Hi-Res lossless. A diferença é que o primeiro sempre esteve disponível e oferece boa reprodução com alta compactação; o segundo traz mais largura de banda para música em até 24-bits / 48 kHz — melhor aproveitada com um fone de ouvido cabeado; e no último, o ideal é utilizar um conversor digital x analógico (o famoso DAC), já que o formato traz faixas de até 192 kHz — ainda mais qualidade sonora, mas com restrições para o aproveitamento completo.

publicidade

Vale destacar que, conforme maior a qualidade, mais espaço em disco as faixas irão exigir. A Apple descreve que uma música Hi-Fi no Android pode chegar a 35 MB, e uma em Hi-Res lossless pode bater 135 MB. Para exemplificar, com 10 GB livres no celular é possível armazenar cerca de 3 mil músicas na qualidade padrão, mil em Hi-Fi, e apenas 200 na qualidade máxima.

Dolby Atmos também chega para o Android

Além do Hi-Fi, o Apple Music para Android recebe o áudio espacial. É como a empresa optou por chamar o Dolby Atmos, tecnologia de imersão auditiva que visa provocar o efeito de voz, instrumentos, e outros elementos sonoros em “camadas” nas caixas de som compatíveis e fones de ouvido. Álbuns selecionados estão disponíveis neste formato. A plataforma conta com playlists especiais para conteúdos codificados desta maneira.

Por último, agora também é possível usar o recurso de crossfade, no qual a próxima música começa antes da última terminar. Assim, o ouvinte tem a sensação de uma transição suave entre elas — para não interromper a reprodução contínua. Todas as novidades precisam ser ativadas no aplicativo, e claro, podem ser desativadas a qualquer momento.

Vale lembrar que o Apple Music pode ser assinado com 50% de desconto por estudantes universitários. Nesta modalidade, o Apple TV Plus sai de graça. Outro serviço com música Hi-Fi em promoção recentemente é o Tidal, que oferece três meses do seu melhor pacote de graça a novos assinantes.

publicidade

Via Mac Rumors

Imagem: Brett Jordan/Unsplash/CC