Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

A Xiaomi anunciou nesta sexta-feira (16/07) que vendeu 1 milhão de power banks Redmi. O número é referente a soma dos modelos de 10.000 mAh e 20.000 mAh que, diferentemente dos modelos Mi Wireless Power Bank, não contam com a função de carregamento sem fio, podendo carregar apenas um dispositivo por vez.

Lançados em 2019, as power banks Redmi contam com a opção de carregamento rápido de até 18 W e caíram no gosto do público por causa do preço, considerado barato pela qualidade do produto oferecido. Na índia, os dois modelos são vendidos com desconto por aproximadamente R$ 54 a versão de 10.000 mAh e R$ 96 a de 20.000 mAh (convertidos de Rúpias indianas, sem impostos). Já na Europa e Reino Unido, a versão de maior capacidade do power bank pode ser adquirida por aproximadamente R$ 70.

publicidade

De acordo com a Xiaomi, além do 1 milhão de power banks Redmi vendidas, os modelos da Mi Wireless Power Bank  também são um sucesso. Estes modelos, que possuem a mesma capacidade de carregamento, mas contam com a tecnologia para energizar celulares sem fio (Qi) o que permite a carga de até dois smartphones simultaneamente, já ultrapassam a marca dos 10 milhões de unidades vendidas ao redor do mundo.

publicidade
Onde comprar as power banks da Redmi no Brasil

No Brasil, tanto as Power Banks da linha Redmi, quanto as da linha Mi podem ser compradas diretamente da loja da Xiaomi no site chinês AliExpress, que entrega no país. Elas acompanham carregador rápido de 45 W (para energizar o dispositivo e não o celular) e variam na faixa de R$ 195 a R$ 300 (fora o frete).

Xiaomi ultrapassa a Apple no mercado global

Na última semana, a Xiaomi também aproveitou os dados das vendas de smartphones do último trimestre para provocar a sua rival Apple nas redes sociais.  Movida pela venda de celulares mais baratos, a fabricante chinesa ultrapassou a Apple e a Samsung em número de aparelhos vendidos ao redor do mundo.

Via GSM Arena