Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Já se perguntou o que acontece com os coitados que compram sem saber um daqueles celulares nitidamente falsificados que são vendidos por uma porção de marketplaces? Eles são identificados por erros de grafia e visuais nitidamente mais rústicos — além do preço, que é sempre muito mais baixo. Em nome da ciência, o corajoso Ben Sin do canal XDA TV comprou um Galaxy S21 Ultra falso para confirmar todas as suspeitas envolvendo esses produtos.

O modelo custou menos de US$ 100 (R$ 509 em conversão direta hoje, 16/07). Isto é apenas uma fração do preço oficial de US$ 1.199 (ou dos R$ 9.499 no Brasil). Se ele tivesse comprado um aparelho básico desse mesmo valor, teria recursos mais compatíveis com o que pagou.

publicidade

À primeira vista, o Galaxy S21 Ultra é menos decepcionante do que promete ser: a traseira é plástica, mas emula o efeito metálico do celular oficial. Olhando para a caixa de lentes, a primeira mentira é revelada: apenas uma lente disponível — e ela só tem 3 megapixels. Todos os outros buracos são ocos, previsivelmente.

Na parte frontal, o Galaxy S21 Ultra falso é cheio de bordas e oferece um notch. Mas ao ligar, tudo fica bem pior: como esperado, a tela é de baixíssima qualidade. E a experiência de uso é tão ruim que o YouTube leva 40 segundos para abrir.

O pior hardware do mundo

Isto acontece porque, apesar das configurações do Galaxy S21 falso mostrarem que ele oferece 6 GB de RAM e 256 GB de armazenamento interno, a realidade é bem diferente. As informações foram adulteradas e o modelo só apresenta 1 GB de RAM LPDDR2 (enquanto a indústria já usa LPDDR5) com míseros 2 GB de espaço disponível. É instalar um único app para o sistema reclamar de pouco disco.

publicidade

O processador? Um MediaTek MT6782. Nunca ouviu falar dele? Não se preocupe: é porque ele é extremamente defasado, oferecendo suporte apenas a 3G, e com desempenho inferior até mesmo ao Helio P22 usado em tantos celulares de entrada. Ironicamente o produto falsificado oferece uma vantagem em relação ao S21 Ultra original: conexão P2 para fones cabeados.

No final, fica nítido que o barato saiu caro — já que com 1 GB de RAM e 2 GB de espaço não é possível usar o Galaxy S21 falso nem como aparelho reserva ou de emergências. Como já citamos, com os mesmos US$ 100 seria possível comprar um smartphone com Android GO — ou feature phone — que atenderia melhor a este propósito.

Via XDA Developers

Imagem: Ben Shin/XDA Developers