Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

O Facebook anunciou nesta quinta-feira (10/6) que o sistema de pagamentos do Facebook Messenger que permite a transferência de dinheiro entre usuários já está disponível nos Estados Unidos. De acordo com a empresa, as transações acontecerão pelo Facebook Pay, que anteriormente permitiam apenas o pagamento para contas business, e as transações devem acontecer por meio do compartilhamento de boletos em QR Code.

Facebook Pay libera transferências de dinheiro entre usuários nos EUA. Imagem: Facebook

publicidade

 

A transferência de dinheiro por QR Code é muito parecida com o que temos no Brasil com o Pix, que inclusive, conta com essa opção. O usuário envia o código com a quantia desejada para a pessoa que efetuará o pagamento e imediatamente a quantia entra na conta do Facebook Pay do usuário. Ainda de acordo com a rede social, toda a transação é feita pelo Facebook Messenger sem a necessidade de baixar outro aplicativo em seu smartphone, basta habilitar o recurso para a transferências em dinheiro nas configurações de sua conta.

Além disso, é necessário que o usuário do Facebook seja maior de 18 anos e tenha um cartão (de crédito ou débito) das bandeiras Visa ou Mastercard para acrescentar as quantias na carteira.

Transferências pelo Messenger não têm data para chegar ao Brasil

O Facebook Pay já está disponível de maneira limitada para brasileiros. Por enquanto, os pagamentos só podem ser efetuados via cartão de crédito. Para habilitá-lo, basta acessar as configurações de privacidade de sua conta > clicar em “Facebook Pay” e associar um cartão de crédito à conta do usuário. O cadastro na plataforma também funciona para efetuar pagamentos no WhatsApp, aplicativo de mensagens do Facebook. Os pagamentos acontecem por um sistema criptografado e o limite de transferências é de R$ 1 mil por transação ou R$ 5 mil mensais.

publicidade

Apesar disso, não há previsão para que o recurso de transferências em dinheiro com QR Code no Messenger chegue no Brasil. Por aqui eventuais mudanças na plataforma devem ser liberadas pelo Banco Central e o Facebook deve batalhar para que essa atualização seja permitida por aqui em breve, uma vez que a base de usuários no país é uma das maiores da plataforma.

Via TechCrunch