Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

A separação da Huawei parece ter sido realmente boa para a Honor. Nesta segunda-feira, (24/05), a empresa, por meio de sua conta oficial no Twitter da Alemanha, confirmou em uma resposta a um seguidor que seus celulares estão oficialmente liberados para utilizar os serviços do Google.

A antiga sub marca da Huawei era impedida de ter o sistema operacional e os demais serviços do fabricante dos Estados Unidos desde que as sanções do governo Trump começaram a incidir sobre empresas chinesas. Separada da Huawei, a Honor começou a se reaproximar do Google e de outras empresas para provar sua independência e, assim, ter de volta o valioso pacote de aplicativos e serviços do Google.

publicidade
Quando o Google volta aos celulares Honor?

Segundo a publicação da Honor da Alemanha no Twitter, flagrada pelo pessoal do Android Authority, mas que agora foi retirada do ar, a empresa poderá voltar a utilizar os serviços do Google já a partir do lançamento do Honor 50, que está programado para chegar em junho deste ano, com o Snapdragon 778G, da Qualcomm, debaixo do capô.

Twitter da Honor, na Alemanha, confirmou retorno dos serviços do Google aos celulares da empresa

A reaproximação entre Honor e Google para que os serviços pudessem voltar aos celulares da fabricante, no entanto, começou há muito tempo. Em janeiro, George Zhao Ming, CEO da empresa, deu uma entrevista afirmando que a marca faria tudo para superar as concorrentes, inclusive a Huawei, e falou justamente sobre essa volta dos serviços do Google aos smartphones da Honor.

“Nossa missão principal este ano é fazer telefones top de linha que possam competir com a Apple e Huawei na China. Definitivamente, já estamos preparados para este desafio. Sem restrições de fornecimento, a Honor tem vantagens excepcionais para capturar os mercados de médio e alto padrão na China”.

publicidade

Além do Google, a Honor também fechou contratos com Qualcomm, Intel, MediaTek e AMD, e afirmou não estar preocupada com futuras sanções que possam vir a ser tomadas contra ela pelo governo dos Estados Unidos, agora sob o comando do novo presidente do país, Joe Biden. “Não há razão para impor restrições a uma empresa de eletrônicos de consumo muito normal. Cumprimos as regras globais de negócios, incluindo pagamentos de propriedade intelectual, pagamentos de impostos, etc. Temos um escritório de conformidade interno para regular o comportamento de cada sistema”.

Via Android Authority

Imagem: MKaola/Flickr/CC