Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

O que era tratado como pura especulação vai se tornar realidade, e a Samsung trocará seu sistema operacional próprio (Tizen) pelo Wear OS, do Google, em seus próximos relógios e pulseiras inteligentes. A informação foi dada em primeira mão pelo pessoal do Sam Mobile, junto de outras novidades a respeito do Galaxy Watch 4, e depois confirmada oficialmente pelo Google no Google I/O.

Mudança será uma fusão do Tizen com o Wear OS
Na verdade, não será uma troca do Tizen pelo Wear OS. Samsung e Google se uniram para formar uma plataforma unificada, que reúne os pontos fortes dos dois sistemas operacionais. De acordo com um post no blog oficial do Google após o evento desta terça-feira, eles foram combinados “em uma experiência com desempenho mais rápido, bateria com vida útil mais longa e mais aplicativos que você adora disponíveis para o relógio”.
Fusão entre o Wear OS do Google e Tizen da Samsung
Além da otimização da bateria, também foram aprimorados os sensores de monitoramento cardíaco, que funcionarão continuamente durante todo o dia, e o monitoramento de sono. A junção dos sistemas operacionais do Google e da Samsung no renovado WearOS também promete aumentar a agilidade com que o usuário acessa as muitas funções do relógio. A ideia é que tocando em qualquer lugar da tela você obtenha atalho para uma determinada função, como retornar ao app utilizado anteriormente.
O usuário também poderá personalizar o carrossel da tela inicial com blocos de seus aplicativos favoritos, além de escolher de maneira intuitiva quais informações ele deseja ter acesso “em um piscar de olhos”, e quais ações deseja realizar com apenas um toque. As atualizações incluem melhorias voltadas para o Fitbit, tais como monitorar o progresso de sua saúde ao longo do dia e conferir o avanço de metas no pulso, pois isso, segundo o Google, “irá motivá-lo em sua jornada para uma saúde melhor”.

Segundo o site, o sistema Wear OS nos novos dispositivos da Samsung será acompanhado da interface One UI 3.x, que será totalmente nova e está sendo produzida justamente para dar suporte à nova geração de wearables da marca sul-coreana. Além disso, recursos inéditos do SmartThings também serão inclusos no projeto.

publicidade
Relógio de “espião”?

Um dos novos recursos do Galaxy Watch da Samsung não está diretamente ligado ao sistema operacional Wear OS, mas promete chamar a atenção e despertar o ‘lado espião’ que existe em você. Ele permitirá transformar o relógio inteligente em um comunicador, tipo walkie-talkie. Ou seja: um usuário poderá enviar mensagens curtas, em áudio, para os amigos.

De acordo com as novas informações, a Samsung poderá disponibilizar até três novas versões de seu smartwatch. Uma terá elementos de design mais clássicos, não muito diferente de um relógio convencional. As demais, que contarão com o modelo Active, terão elementos de design esportivo. Ainda não há uma data certa prevista para o lançamento dos novos wearables Samsung com Wear OS, mas as apostas apontam para a chegada junto da nova geração dos smartphones dobráveis, Z Flip e Z Fold, no segundo semestre.

As informações sobre as cores da nova geração do wearable da Samsung não são muito específicas até o momento, mas dão conta de que ele deve receber as mesmas opções que o Galaxy Z Fold 3, como aconteceu na época do Watch 3 e do S20. Isso indica que o dispositivo pode chegar em preto, verde, bege e violeta.

Via Sam Mobile

publicidade