Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

A Motorola anunciou uma parceria com a empresa de soluções de energia pelo ar GuRu Wireless para testagem de carregamento de smartphones pelo ar.  De acordo com as empresas, os próximos aparelhos da fabricante podem chegar com potência de carregamento sem fio de até um metro de distância entre celular e a base de energia.

A nova tecnologia deve permitir que a Motorola efetue o carregamento de smartphones à distância por meio de ondas, sem a necessidade de um cabo ou base de carregamento conectados ao dispositvo. O projeto, que é proprietário da GuRu, é baseado em um sistema no qual um dispositivo emissor direciona a energia ao aparelho.

publicidade

De acordo com Dan Dery, vice-presidente de produtos da Motorola, a ideia é que as pessoas passem a ter estas bases de carregamento em diversos locais, como cômodos da casa e até no trabalho. Deste modo, ao entrar em um recinto, o seu smartphone identificará o emissor e energizará a bateria automaticamente. Ao que tudo indica, o projeto ainda está em fase inicial e não deve chegar ao público tão cedo.

Como funciona a tecnologia de carregamento pelo ar

Carregar smartphones sem a necessidade de um cabo tornou-se algo comum nos últimos anos. Diversas empresas possuem modelos com a opção de carregamento sem fio, desde que estes aparelhos estejam em contato com uma base emissora da energia.

Já o carregamento pelo ar se baseia em uma tecnologia mais antiga que os próprios celulares. Trata-se do conceito Wireless Power Transfer (WPT), criado por Nikola Tesla no início do século XX.

O inventor sonhava em criar torres emissoras que estariam equipadas com a chamada bobina de Tesla, um dispositivo capaz de transmitir a energia por meio de ondas até dispositivos. No entanto, este fenômeno batizado de “indução eletrodinâmica” tinha um problema em sua concepção: a dispersão da energia até o dispositivo receptor.

publicidade

Levaram anos até que o processo fosse adaptado de maneira viável para reprodução em longa escala.  Em 2008, a IBM conseguiu realizar testes para acender lâmpadas a distância, enquanto a Nintendo chegou a produzir um carregador para controles de Nintendo Wii que não exigia conectores. Mais recentemente, uma empresa de energia da Nova Zelândia iniciou estudos para o uso da tecnologia no fornecimento de energia para as cidades.

Como funciona a tecnologia da GuRu Wireless

De acordo com a GuRu, o processo no carregamento utilizado nos smartphones da Motorola, em tese, tende a ser mais simples e rápido que o fornecimento de energia para uma cidade. A base do receptor deve conter um modelo adaptado da bobina de Tesla que transmitirá as ondas até os dispositivos.

Para garantir que não haverá excesso na dispersão de energia, a GuRu criou um sistema proprietário de receptores baseado em receptores que direcionam para onde a energia será emitida. Ainda que as ondas sejam inofensivas, além de otimizar o carregamento, o dispositivo também garante a segurança de que nenhum outro objeto ou indivíduo será afetado pelas ondas emitidas.

Via XDA Developers