Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

O Android pode estar correndo o risco de ficar fora de futuros smartphones de marcas chinesas, perdendo espaço para o HarmonyOS, o sistema operacional da Huawei. A fabricante, também chinesa, tem sofrido bastante no mercado global com as sanções impostas pelos Estados Unidos, em uma guerra comercial que parece longe de um fim. Porém, a Huawei vem apostando em softwares para contornar essa situação, conforme publicamos recentemente.

Atualmente, o Android, sistema operacional do Google para smartphones, está em cerca de 87% dos celulares do planeta, segundo dados recentes. Tal condição se justifica por inúmeros motivos, como a gratuidade, o código aberto e o fato de já sair instalado de fábrica em uma gama de celulares, incluindo os fabricados por diversas empresas da China, como Oppo, Vivo e Xiaomi.

publicidade

Entretanto, algumas informações dão conta de que marcas chinesas estão em contato com a fabricante compatriota, avançando em planos para que seus smartphones tenham o HarmonyOS pré-instalado ao serem lançados. Esses rumores foram postados na rede social chinesa Weibo, no perfil de um conhecido vazador de notícias que também relatou sobre possíveis planos de adaptação do sistema operacional da Huawei às plataformas da Qualcomm e também da MediaTek.

Na linha dessas impressões, as possíveis marcas chinesas a abraçarem o HarmonyOS podem ser as próprias Xiaomi, Oppo, Vivo e também a Meizu. Todavia, não é descartada a hipótese de que essas empresas apenas estejam abrindo espaço para estudar uma alternativa além do Android e, como o sistema operacional da Huawei já ocupa a terceira posição global, ficando atrás do líder do Google e do iOS, da Apple, a condição tem sua lógica.

O HarmonyOS está às vésperas de acompanhar o lançamento do smartphone Huawei P50 e do Huawei Mate 50, aguardados para 2021, sendo que o primeiro pode subir aos palcos do mercado global ainda no primeiro semestre desta ano. Além de progressos significativos, como suporte a apps Android, o sistema operacional já está junto a uma gama de eletrodomésticos e presente no mercado de automóveis, reforçando uma estratégia que a empresa aderiu de estar em 300 milhões de dispositivos até o final de dezembro.

Via TechRadar e Huawei Central

publicidade