Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Os interesses da Apple junto às suas políticas na App Store deverão prevalecer na disputa judicial que enfrenta com a Epic Games. Pelo menos, é o que aponta um analista do banco de investimentos Wedbush, que considera para suas observações o fato da Maçã e seus negócios na loja de aplicativos iOS serem uma “fortaleza”.

Para Daniel Ives, a Epic Games realizou um movimento arriscado ao iniciar sua batalha contra o que ela alega serem práticas anticompetitivas e monopólio da Apple. Ao mesmo tempo, a desenvolvedora americana de jogos eletrônicos, criadora do banido Fortnite, almeja alavancar sua presença global junto aos mais de 350 milhões de jogadores.

publicidade

Ives também citou que o Google aparece como um dos obstáculos que a Epic enxerga em seu caminho pela expansão. Os entraves na Austrália, onde o gigante de buscas também está sendo processado pela empresa, certamente fazem parte da sustentação das avaliações do analista. No país da Oceania, Tim Sweeney, CEO da Epic Games, dentre outras acusações, alega que o Google abusa de seu controle sobre o sistema operacional Android com sua loja de apps Play Store, ocorrendo desrespeito à lei de Competição e Consumo local.

Apple sólida como uma rocha

Voltando ao caso com a Apple, Ives crê que a Maçã possui sua receita anual sólida como uma rocha, sob avaliação de US$ 1,3 trilhão nos negócios de serviços, o que será chave para o crescimento futuro das finanças da empresa. Além disso, para o analista da Wedbush, a disputa judicial entre Apple e Epic, que teve seu primeiro dia de julgamento no dia de hoje (03/04), pode até acabar desfavorável para a empresa de Tim Cook. Entretanto, apesar do barulho, a estrutura de taxas dos apps no ecossistema Apple se manterá firme.

Do lado da Epic Games, recentemente, publicamos que o iOS não é sua maior fonte de receita. A maior parte dos ganhos financeiros do Fortnite, segundo documentos revelados pelo The Verge, está nos consoles da Sony, com o PS4, e da Microsoft, com o XBox One. O sistema operacional da Apple foi responsável por apenas 7% da receita da empresa de Sweeney.

Via Apple Insider

publicidade

Imagem: Ryan McGuire/Pixabay/CC