Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Em meio aos processos judiciais envolvendo a Epic Games e a Apple, um relatório recente apontou que o iOS não é a maior fonte de receita para a desenvolvedora do Fortnite. Aliás, é uma das menores deste ano. Dessa forma, antes do game ser banido do App Store, a Epic teria feito mais US$ 700 milhões em receita com os usuários de iOS durante os dois anos em que o jogo estava listado no serviço de aplicativos da Apple.

No ano passado, os documentos diziam que o PS4 já era a maior fatia do gráfico com 40 % da receita, acompanhado pelo Xbox One com 24 %, enquanto o iOS já possuia a menor receita com 5,8 %. O líder de receitas para a Epic Games com o Fortnite é o Playstation 4, seguido pelo concorrente da mesma geração, o Xbox One. Segundo os novo documentos revelados pelo The Verge recentemente, mostram que “o PlayStation 4 gerou 46,8 % da receita total da Fortnite de março de 2018 a julho de 2020, enquanto o Xbox One, a segunda maior plataforma, gerou 27,5 %. iOS ficou em quinto lugar, com apenas 7 % da receita total. Os 18,7 % restantes seriam divididos entre Android, Nintendo Switch e PCs”.

publicidade

Com isso, não surpreende que a maior parte de receita do Fortnite não está nos dispositivos móveis (Android e iOS), mas sim nos consoles da Sony e da Microsoft. Curiosamente, tanto a Apple quanto o Google (responsável pelo sistema Android) tiveram problemas com processos judiciais recentes com a Epic Games. E esses documentos liberados agora, podem ajudar de alguma forma a desenvolvedora do Fortnite no julgamento contra a Apple. Mas, alguns especialistas dizem que “ao contrário do que diz a Epic, a App Store e o iPhone competem com outros smartphones, tablets, PCs e até mesmo consoles de jogos”.

Via 9 to 5 mac

Imagem: Joshua Hoehne/Unsplash/CC

publicidade