Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

A Qualcomm perdeu o posto de liderança e não é mais considerada a maior fabricante de processadores para smartphones do mundo. Em 2020, a empresa taiwanesa MediaTek superou a concorrente, segundo dados do relatório da Omdia citado pelo Digitimes.

Os processadores da Qualcomm sempre estiveram ligados aos smartphones top de linha do mercado, como Samsung Galaxy S, e são referência de alta qualidade. No entanto, só isso não bastou para manter a empresa norte-americana no topo do ranking mundial de maior fabricante de chipsets.

publicidade

O sucesso da MediaTek foi impulsionado pelo desempenho de vendas da Xiaomi e da Samsung e por focar celulares básicos e intermediários que usam seus processadores. A MediaTek vendeu cerca de 351,8 milhões de chipsets de smartphone no ano passado e detém uma participação de mercado, global, de 27,2% quando comparado a 2019, quando tinha 17,2% do setor.

Explosão da Xiaomi

O crescimento explosivo da Xiaomi no ano passado fez com que a MediaTek nadasse de braçada e fizesse com que a Qualcomm perdesse o posto de maior fabricante de processadores do mundo. Maior cliente da empresa, a Xiaomi demandou 223% mais processadores em 2020 do que no ano anterior. A Oppo, segundo maior consumidor de chips MediaTek, consumiu 55,3 milhões de chipsets para seus dispositivos, frente 46,3 milhões em 2019.

Enquanto isso, a Samsung viu a demanda pelos smartphones com chipsets MediaTek, de linhas intermediárias e mais em conta, aumentar 250% em 2020. Em meio à crise de falta de equipamentos de tecnologia, a perspectiva para 2021 é boa para a MediaTek se formar como maior fabricante do dispositivo do mundo, à frente da Qualcomm. Resta agora esperar e observar se os números se mantêm com a possibilidade de novos fabricantes chegarem ao mercado, como Huawei e Honor.

Negócio da China

A MediaTek se tornou a maior fornecedora de chipsets da China no segundo semestre do ano passado, em parte também por conta da campanha de Donald Trump contra a Huawei, maior fabricante de celulares da China, de comprar componentes de empresas norte-americanas, como a Qualcomm.

publicidade

Até 2019, a Qualcomm dominou o mercado chinês, com 37,9% de participação e, somente nos últimos seis meses do ano passado, a MediaTek alcançou 31,7% do mercado, dobrando sua presença em relação ao ano anterior e superando a concorrente americana.

A China é um mercado importante para essas empresas, uma vez que, somente no ano passado, demando mais de 307 milhões de processadores. Com as indústrias chinesas buscando diversificar seus fornecedores, a ascensão da MediaTek e a queda da Qualcomm como maior fabricante de chipsets do mundo é algo a ser observado de perto.

Via Android Authority e CX Tech