Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Um problema mencionado desde o início da pandemia da Covid-19 está tomando as rodas de discussões de executivos do mundo da tecnologia: a escassez geral de chips de celulares no mercado. Wang Xiang, presidente da Xiaomi, fez na última reunião da empresa uma previsão das consequências: quem vai pagar é o consumidor. Para ele, a Xiaomi deve segurar o máximo possível aumentos e seguir otimizando custos, mas alguns casos deverão levar a adoção dessa medida.

A pandemia deve continuar a afetar a produção de chips, que deverão ser produzidos em menores quantidades, e comercializados a preços mais elevados para as fabricantes. Assim, as empresas do setor não deverão arcar sozinhas com essa nova conta, repassando parte dos novos custos ao consumidor.

publicidade

Nós estamos sentindo a pressão, mas estamos bem[…] seguiremos otimizando os custos dos nossos dispositivos.” — Wang Xiang, presidente da Xiaomi

Qualcomm já alerta para demanda do Snapdragon

Sendo assim, podemos esperar em 2021 que alguns dos próximos lançamentos cheguem a valores mais elevados, diminuindo o custo x benefício dos dispositivos. Por mais que Xiang tenha falado publicamente sobre o provável aumento de preços devido à escassez de chips, a Qualcomm já vinha comentando que deverá encontrar problemas para atender todos os pedidos que chegam ao seu conhecimento.

Para ser honesto, faremos o nosso melhor para seguir oferecendo o melhor preço ao consumidor. Mas às vezes teremos que repassar o aumento de custos para o cliente.”

Quem pode demorar a sentir mais o impacto é a Samsung, e também Apple. Os chips Exynos e Apple A são produzidos por elas mesmas. Como a Xiaomi é uma fiel cliente da Qualcomm — que fabrica os chips Snapdragon — deverá mesmo ser uma das primeiras a sentir esse impacto. Talvez esse medo tenha motivado ela a desenvolver seu próprio processador, que poderá ser anunciado em breve. Fato é que, por mais empolgantes que alguns lançamentos de 2021 possam ser, eles devem exigir cada vez mais do bolso do consumidor.

publicidade

Via Reuters e XDA Developers