Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Essa é para você entender qual o problema de não ter uma neutralidade de rede: a Verizon, uma das maiores operadoras e redes de telefonia dos Estados Unidos, quer cobrar mais pelo 5G. A empresa anunciou em sua conferência para investidores que dividirá o acesso à nova rede em três planos – Metered (medida, isto é, consumo controlado), Entry Unlimited (consumo ilimitado de entrada) e Premium Unlimited (consumo ilimitado premium).

Recentemente, a Verizon investiu US$ 53 bilhões para distribuir suas redes em banda C, de aproximadamente 3,7 GHz, que é a frequência padrão utilizada para o 5G. A banda C apresenta melhor qualidade de sinal e maior alcance, e tem melhor funcionamento geral do que as redes 5G usadas por padrão nos Estados Unidos, e melhor distribuição que as redes mmW (milimiter Wave) – que apesar de rápidas, são facilmente barradas por uma parede.

publicidade

A banda C, entretanto, só estará disponível para quem pagar o plano mais caro da Verizon, o Premium Unlimited, que no momento, só oferece o padrão mais caro. Os usuários deste novo modelo serão os únicos a ter acesso a frequência de 3,7 GHz. Quem estiver dentro dos dois outros dois planos estará restrito ao 5G nacional da empresa – que, diga-se de passagem, é mais lento do que o 4G em alguns lugares dos Estados Unidos.

No momento, a Verizon tem apenas 21% de seus clientes usando o Premium Unlimited. A expectativa da operadora é de que o novo 5G aumentará esse número para 50% – e vão cobrar mais caro por isso. Isto é, claro, se um certo entusiasta da Neutralidade de Rede do governo Biden não resolver intervir.

Via Droid-Life

Imagem: Reprodução (DroidLife / Verizon)

publicidade