Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Uma startup pouco conhecida, mas relevante dentro do público para o qual é feita, está recebendo milhões de dólares em investimentos. A WeFarm, rede que, como o nome indica, é voltada para fazendeiros e agricultores, está construindo seu aplicativo próprio, para aumentar suas funcionalidades.

A startup levantou fundos para expandir as operações do projeto e conseguiu um investimento de cerca de US$ 11 milhões. Agora, a plataforma conta com cerca de 2,5 milhões de usuários. O objetivo do WeFarm é conectar pequenos agricultores em uma rede de auxílio, onde podem compartilhar seu progresso, ideias para melhorar a produção e ainda comprar e vender itens. Outro destaque é que, ao contrário de outras startups que são primeiro voltadas para o público dos Estados Unidos antes de ganharem o mundo, essa tem como principal público justamente países em desenvolvimento.

publicidade

Não atoa que, apesar de ter sua sede em Londres, a maior parte dos usuários do WeFarm estão em países da África. O atual financiamento é uma continuação do feito em 2019, quatro anos após a empresa ter sido fundada. Na época, a companhia conseguiu US$ 13 milhões com investidores.

A principal dificuldade em criar uma rede social para esse público é justamente o acesso a internet, já que muitas dessas localidades ficam em regiões remotas. Pensando nisso, a plataforma possui um modelo de interação via SMS, que pode ser usado mesmo por quem não tem nenhum tipo de acesso a internet. De acordo com dados divulgados pela empresa, pelo menos 37 milhões de conversas entre agricultores já foram feitas pelo serviço de SMS pela rede WeFarm.

Expansão do serviço

O foco da nova rodada de negociações é conseguir dinheiro para lançar oficialmente um aplicativo, que atualmente está em beta. Isso também envolve negociações com empresas de telefonia para reduzir os custos do consumo de dados na plataforma e permitir o uso por um maior número de agricultores.

“O grande passo que estamos dando é passar do SMS para um serviço digital baseado em aplicativos, que removerá a barreira digital”, explicou Kenny Ewan, fundador e CEO da Wefarm em entrevista ao TechCrunch. “Nós comparamos isso com a mudança do envio de DVDs pelo correio para streaming de vídeo online. Achamos que é o momento certo e acreditamos que pode nos levar à marca de 100 milhões de usuários”, completou ainda. “As áreas que a Wefarm está considerando desenvolver nos próximos dois anos são se isso pode ajudar a fornecer mais informações sobre modelos de negócios mais viáveis, modelos de preços e mais dados sobre aspectos específicos, como períodos de amadurecimento”, finalizou.

publicidade

Um dos investidores também comentou sobre os rumos do projeto.“Ao construir uma rede altamente engajada de milhões de pequenos agricultores, a WeFarm criou uma plataforma poderosa que fornece maior acesso a conhecimentos e informações vitais, o que permite aos agricultores desbloquear um maior potencial econômico de suas terras”, disse Kamran Adle.

Via TechCrunch