Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Em cumprimento a uma lei francesa, a Apple passou a publicar pontuações sobre reparabilidade de seus produtos, como o iPhone 12 e o MacBook. O score deve ser publicado por fabricantes de eletrônicos e eletrodomésticos no país. Nele, são levadas em consideração características como o quanto é fácil desmontar um aparelho e a disponibilidade de manuais de reparo e peças de reposição.

A França colocou em vigor a nova lei já no primeiro dia de janeiro, visando fomentar a redução de desperdício. Em novembro do ano passado, publicamos que a Europa passaria a classificar eletrônicos por facilidade de reparo este ano, com a França sendo o primeiro país europeu a adotar o novo critério. A norma foi batizada de Direito de Reparo e determina que os produtos deverão trazer um rótulo com informações claras sobre a durabilidade estimada e a reparabilidade.

publicidade

De acordo com uma plataforma francesa liderada pela startup Spareka, voltada para orientar as pessoas sobre como elas mesmas podem consertar seus próprios dispositivos, em 2020, apenas 40% dos aparelhos no país foram reparados depois que quebraram. O governo francês pretende aumentar esse índice para 60% em cinco anos, e a nova lei busca conscientizar os consumidores locais, além de pressionar as fabricantes para que façam melhorias em seus produtos.

score de reparabilidade do iPhone 12 Pro na França

A Apple mostra avanço nesse sentido com o iPhone 12 Pro Max, por exemplo, que possui uma pontuação de reparabilidade de 6,0 de 10 possíveis. Esse índice supera a pontuação do iPhone 11 Pro Max, que ficou em 4,6 de 10. As pontuações dos aparelhos Apple na França podem ser acessadas aqui.

Os critérios do score

Entre cores que vão do vermelho, para as pontuações mais baixas, ao verde, nas pontuações mais altas, as notas vão de 0 a 10. São cinco os critérios que devem ser considerados pelas empresas para o score de cada um de seus produtos. Além de facilidade de desmontagem, é necessário avaliar a disponibilidade de informações de reparo, a disponibilidade de peças de reposição, o preço das peças de reposição e se o produto está em conformidade com as normas específicas sobre problemas de reparo, conforme cada classe de produto.

publicidade

Atualmente, a lei na França está agindo sobre smartphones, laptops, televisores, máquinas de lavar e cortadores de grama somente, mas há pretensão para que os tipos de produtos aumentem. Além disso, por enquanto, não há aplicação de multas até 2022, quando as empresas passarão a ser penalizadas, caso não cumpram com as novas exigências.

reprodução de score de reparabilidade de um Galaxy S21 Ultra 5G na França

Porém, há o detalhe de que as pontuações são publicadas conforme relatórios das próprias empresas. Ou seja, se a Apple aponta que o iPhone 12 Pro Max tem 6,0/10 de reparabilidade, não há efetivamente um tste independente indicando se os índices correspondem com a realidade ou não. Logo, cabe às próprias fabricantes prezarem pelo bem de seus clientes e pela própria imagem de legitimidade.

A Samsung é uma das empresas que já procuraram se empenhar em mudanças e adequações para cumprimento da lei, visando melhorar suas notas. A coreana fornece agora um guia de reparo online para seu Galaxy S21 Plus, em uma aparente tentativa de aumentar sua pontuação de reparabilidade em comparação com o modelo de 2020.

Via The Verge e Radio France Internationale