Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

O Parlamento europeu votou uma resolução e vai passar a avaliar os eletrônicos por sua facilidade de reparo a partir de 2021. A resolução teve 395 votos a favor, 94 contra e 207 abstenções, e a França será o primeiro país a adotar o novo critério.

De acordo com a norma, batizada de Direito de Reparo, os produtos deverão trazer no rótulo informações claras, imediatas, visíveis e fáceis de entender sobre a durabilidade estimada e a reparabilidade do produto.

publicidade

O francês David Cormand, que é o relator do projeto,  informou que a medida de avaliar a facilidade de reparo dos eletrônicos visa combater a “obsolescência prematura” dos produtos na Europa.

A resolução também é benéfica para o meio ambiente. Além disso, ela é uma forma de estimular a economia circular e limpa, além do consumo racional de eletrônicos.

Assim, ao proporcionar aparelhos com maior vida útil, o cidadão terá menos necessidade de adquirir um novo e de descartar o antigo, gerando menos lixo eletrônico em todo o continente.

Como vai funcionar?

A partir de janeiro, a França vai classificar eletrônicos como laptop e smartphones por sua facilidade de reparo. A resolução descreve um sistema de pontos de reparo semelhante ao do iFixIt, comunidade global de troca de experiências sobre reparo de eletrônicos.

publicidade

Selo de reparabilidade que vai ser usado em eletrônicos na França a partir de janeiro de 2021 (Reprodução)

Essa medida vem de encontro a uma antiga demanda dos cidadãos europeus. Uma pesquisa feita em 2014 na União Europeia sobre o uso de equipamentos eletrônicos, mostrou que 77% dos cidadãos preferem consertar um aparelho do que substituí-lo por um novo.

Quase 80% dos consumidores acreditam que os fabricantes deveriam ser obrigados a colaborar com facilidade no reparo ou troca das peças individualmente.

Apesar de anunciar que será pioneira na adesão do critério, a França não está sozinha na busca da facilidade de reparo de eletrônicos. Pensando nisso, a Áustria também anunciou que vai reduzir impostos sobre serviços de reparo para ajudar os consumidores.

Foto: RF Studio/Pexels

Via iFixIt.