NotíciasManifestantes atacam fachada da Robinhood

Ronnie Mancuzo2 semanas atrás6 min

Manifestantes indignados com o app Robinhood foram à sede da empresa em Menlo Park, na Califórnia, e causaram tumulto no local. Segundo relatos da equipe de segurança do prédio, houve quem jogou uma camiseta contra um funcionário da Robinhood, ataque com fezes de cachorro e até uma estátua foi danificada.

Os incidentes com a camiseta e com as fezes de cachorro ocorreram em 28 de janeiro, com somente o arremessador de camisetas tendo sido identificado e citado por agressão, antes de ser liberado. O autor do ataque com as fezes conseguiu fugir.

Na mesma noite, a equipe de segurança da Robinhood chamou a polícia de Menlo Park para por causa de uma invasão à sede da empresa feita por dois outros manifestantes. Após a chegada dos policiais e advertências, os invasores foram embora.

No dia seguinte, um grupo formado por cerca de 15 pessoas também se reuniu em frente ao local e realizou mais manifestações. Já no dia 31 de janeiro, um homem revoltado serrou uma escultura que havia na propriedade da empresa.

Foram dez ocorrências de manifestações mais inflamadas em frente à sede da Robinhood entre 28 de janeiro e 9 de fevereiro, segundo registros do departamento de polícia de Menlo Park. Alguns dos ataques tinham como alvo principal o CEO da empresa, Vlad Tenev, que teve seu nome grafado em giz na calçada, seguido por ofensas.

O app Robinhood, após causar grande impacto no mercado financeiro com as ações da GameStop passou a restringir seus usuários de fazerem várias negociações na plataforma. Ações de diversas empresas, como as da AMC Entertainment, Nokia e da própria GameStop, começaram a ficar inacessíveis para os usuários do app.

Revoltados afirmam bloqueios de até US$ 2 milhões no app

Dentre os manifestantes, houve um homem alegando ter perdido US$ 50.000 (cerca de R$ 269 mil hoje, para termos uma ideia em Reais) com ações da Nokia, além de ter seu acesso à própria conta bloqueado no app Robinhood. Outro usuário insatisfeito declarou que possui US$ 2 milhões (algo próximo de R$ 11 milhões) retidos pela empresa e que não consegue retirar essa quantia de sua conta. Porém, detalhes sobre essa situação não foram relatados pelo usuário à CNBC.

Nos últimos dias, o app Robinhood vem sido alvo de ocorrências também no âmbito legal. Além de uma ação coletiva promovida por usuários contra os bloqueios e restrições que o aplicativo impôs em sua plataforma, os pais do jovem Alexander Kearns processaram a Robinhood pelo suicídio do filho, ocorrido em junho do ano passado. De acordo com as afirmações da família de Alexander, o suicídio ocorreu após o jovem ser notificado pelo app sobre uma dívida em seu nome no valor de US$ 730 mil.

Sobre os bloqueios, o app afirma que se tratam de procedimentos necessários para melhor gerenciamento da plataforma e adequação às exigências regulatórias. Já sobre o caso do jovem Alexander, a empresa declarou estar arrasada e que tomou medidas como atendimento ao usuário ao vivo e mudanças de protocolo de casos de urgência.

Via Business Insider e CNBC

Imagem: Grafissimo / iStock