Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

O Departamento de Comércio dos EUA divulgou novas adições à chamada Entity List, uma lista de empresas e entidades estrangeiras consideradas suspeitas pelo governo norte-americano. Dessa vez, no meio de várias outras empresas, os EUA decidiram banir a DJI, companhia chinesa conhecida por ser a maior fabricante de drones do mundo.

Isso é certamente má notícia para qualquer empresa presente na lista, como é caso da fabricante de chips chinesa SMIC, que também consta nessa atualização. Isso se deve ao fato da Entity List determinar quem sofrerá um certo tipo de banimento comercial, já que as entidades colocadas nela são impedidas de fazer comércio com empresas americanas e se prejudicam enormemente com isso.

publicidade
Razões do banimento

O governo dos EUA alega que o banimento da DJI se dá por violações aos direitos humanos. É um motivo certamente inesperado, se lembramos que geralmente as inclusões na lista são causadas por supostas ameaças à segurança nacional por parte das empresas estrangeiras. Aliás, tanto a SMIC quanto a Huawei foram adicionadas à lista sob essa justificativa.

Aparentemente, o que causou o banimento da DJI nos EUA foi o envolvimento da empresa com o fornecimento de drones à polícia de Xinjiang, região envolvida em muitas polêmicas de violações aos direitos humanos. Nas palavras do Escritório de Indústria e Segurança do Departamento de Comércio dos Estados Unidos, a DJI “facilitou a exportação de itens chineses que auxiliaram regimes repressivos ao redor do mundo”.

O acordo da DJI com a polícia chinesa, aliás, foi relembrado por seu ex-diretor de martketing, David Benowitz, por meio dum tweet:

Unindo tudo isso, é possível perceber que não se trata duma acusação infundada, devido à variedade de provas, embora ainda possa ser questionada geopoliticamente.

Além disso, a empresa também foi acusada de auxiliar o governo chinês a coletar informações genéticas, acusação cuja validade é improvável. Ou, pelo menos, mais improvável que a anterior por carecer de provas de fato.

Não se sabe ainda o que isso vai significar para a DJI nos EUA, embora não se suspeite que seus produtos sejam proibidos no país. Como afirmado anteriormente, é provável que a empresa não consiga participar de trocas comerciais com os americanos, mas o banimento para por aí.

Via Drone DJ