Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

O Fitness+ foi criado para promover uma nova experiência fitness para que qualquer pessoa possa se exercitar de onde estiver, independentemente de seu condicionamento físico, segundo a Apple. E para evitar as pessoas de ficarem dando desculpas: as sessões variam de 5 a 45 minutos e novos exercícios são adicionados semanalmente, desenvolvidos por uma equipe de treinadores diversificada.

Mas o mais interessante é que agora o Apple Watch vai monitorar como está o seu estado físico, com base no gênero e faixa etária, classificando cada usuário em quatro níveis de preparo físico — do baixo ao mais alto. Se o seu condicionamento estiver baixo ou cair ao longo do uso do Fitness+, você receberá uma notificação para que possa voltar a se exercitar e recuperar o prejuízo.

publicidade

Segundo Jeff Williams, COO da Apple: “usando seus sensores avançados, o Apple Watch agora mostra uma estimativa dos níveis de preparo físico de clínicas no pulso do usuário, assim as pessoas terão mais dados e informações sobre como melhorar sua saúde a longo prazo através da atividade diária.”

Como funciona?

O Apple Watch avaliava o preparo físico dos usuários por meio da aferição do VO2, ou seja, a capacidade de oxigênio usada pelo organismo durante a prática da atividade física. Para chegar nesse valor, o aparelho fazia uma comparação dos volumes médio e alto de ar consumido durante exercícios vigorosos.

Agora, mais sensível e acurado, o Apple Watch vai poder estimar o consumo de VO2 também durante atividades mais leves, como caminhada, por meio de sensores variados, como GPS, acelerômetro e até sensor óptico cardíaco.

Esse tipo de mensuração é importante porque torna o uso do Apple Fitness+ mais flexível — além dos atletas profissionais e amadores, pessoas com restrições a exercícios vigorosos, como aquelas com problemas cardíacos, também serão capazes de tirar proveito da tecnologia na hora de colocar o corpo pra se mexer e, acima de tudo, fazer isso com segurança, respeitando os limites do seu organismo e descobrindo se houve ou não melhora no preparo físico.

publicidade
Mais condicionamento

Cada usuário pode indicar no Apple Fitness + quais são os seus objetivos e, por meio do Apple Watch, integrar as métricas pessoais, gerenciando os resultados. Durante os exercícios, podem surgir na tela do Apple Watch indicadores como calorias queimadas, batimentos cardíacos e tempo restante para o fim da sessão. Conforme o usuário aprimora suas métricas, novos exercícios e intensidades são propostos pelo Fitness+, ao notar a melhora no preparo físico.

Os treinos são acompanhados por uma playlist com as músicas animadas e atuais para garantir mais engajamento e dinamismo na hora de se exercitar, sem que seja preciso assinar o Apple Music. Outro ponto positivo é que o usuário pode escolher a atividade que mais lhe agrada dentre 10 opções – HIIT, força, yoga, dança, ciclismo, remo, caminhada, corrida, core e mindful cooldown –, além de assistir às aulas no iPhone, iPad ou Apple TV.

Quem pode

Para ter acesso à periodização de treino, é preciso pagar uma mensalidade de US$ 10 ou anuidade de US$ 80. O app é disponibilizado gratuitamente aos usuários do Apple Watch pelo período de teste de um mês. A fim de incentivar o pessoal a se mexer, também é possível incluir mais cinco familiares na assinatura.

O Apple Fitness+ está disponível para iOS 14.3, watchOS 7.2, iPadOS 14.3 e tvOS 14.3

Via Engadget e GSM Arena.