Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Há menos de um mês do lançamento do M1, a Apple já pensa na sua próxima linha de processadores. A empresa estaria trabalhando em uma linha de chips de 16 e 32 núcleos baseados na arquitetura ARM para serem apresentados ainda em 2021.

Em novembro, a Apple escreveu um novo capítulo de sua história ao apresentar a linha de Macbooks equipados com os chips M1, processadores baseados em arquitetura ARM, a mesma utilizada nos novos iPhones e  iPads, algo até então considerado inviável para o mercado.

publicidade

Agora, a empresa trabalha em novos processadores ARM que acompanharão os novos iMacs – seus computadores de mesa.  De acordo com a Bloomberg, seriam dois processadores, um de 16 núcleos que seria utilizado nos novos iMacs e nos modelos maiores do MacBook Pro, e outro de 32 núcleos, dedicado a performance e que acompanharia o Mac Pro.

Deste modo, a Apple estaria planejando lançar os processadores no mercado junto com os dispositivos previstos para 2022, encerrando de vez a sua parceria com a Intel.

Apple planeja processadores gráficos de 32 núcleos

Além disto, os rumores indicam que a Apple também planeja processadores gráficos de 16 e 32 núcleos para os próximos MacBooks e iMacs, além de uma GPUs de 64 e 128 núcleos para o Mac Pro. Apesar dos números, os novos processadores gráficos não devem ser tão potentes ao que já vemos em desktops, equivalendo ao poder de fogo de GPUs intermediárias de outras empresas como a Nvidia e a AMD.

O próprio M1 passou por que mostram a sua superioridade no processamento gráfico quando comparado a placas como as Nvidia Geforce RTX 1050ti e as AMD Radeon RX 560. Estas são atualmente consideradas as placas mais básicas das fabricantes.

publicidade

Via Bloomberg