Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Nós do Vida Celular e nossos parceiros utilizamos cookies, localStorage e outras tecnologias semelhantes para personalizar conteúdo, anúncios, recursos de mídia social, análise de tráfego e melhorar sua experiência neste site, de acordo com nossos Termos de Uso e Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Em junho desse ano, a Apple anunciou uma grande mudança em sua trajetória, ao anunciar que trocaria os processadores Intel para processadores próprios, em uma transição que vai durar dois anos. Hoje, o primeiro passo foi dado, e a Apple fez seu último evento do ano o seu novo processador para computadores, o Apple M1.

O processador do iPhone e do iPad tem se superado a cada geração, assim, a transição para os Macs era algo inevitável. Essa é a primeira vez que a empresa lança um Mac com processadores próprios, portanto, trata-se de um dia histórico para a empresa criada por Steve Jobs e Steve Wozniak.

publicidade

Além de mostrar vários detalhes sobre o chip, a Apple também apresentou três novos Macs equipados com ele, o MacBook Air, o Mac Mini e o MacBook Pro.

Clique abaixo para assistir ao evento completo.

O pequeno e poderoso Apple M1

Apple M1

publicidade

O M1 é produzido no processo de 5nm, e esse é o primeiro processador para computadores com essa tecnologia. Como ele é uma versão dos processadores criados pela Apple para smartphones e tablets, também oferece muito desempenho no menor tamanho possível.

Assim, o seu desempenho é considerado 3,5 superior a um processador Intel. A comparação foi feita em dois MacBook Airs com 16 GB de RAM e SSD de 2 TB, um com o Apple M1 e o outro com um processador Intel Core i7 de 1,2GHz. Também vale destacar que o Apple M1 é octa-core, enquanto o processador do teste, quad-core.

Com o novo processador, apps e jogos para iOS rodam de forma nativa. Os apps para Intel também poderão ser usadas, mas com o app Rosetta 2.

Saiba mais sobre o Apple M1.

MacBook Air silencioso e com bateria que dura 18 horas

MacBook Air lançado com o processador Apple M1

Vamos começar pelo MacBook Air. O notebook conta com 18 horas de bateria, e pela primeira vez, deixa de lado a velha ventoinha, que era bem barulhenta. Além disso, ele tem um desempenho 3,5 vezes mais rápido do que o do MacBook Air vendido atualmente (como vimos acima). A GPU integrada ao Apple M1 é 5 vezes mais rápida, segundo a empresa.

Na apresentação, a Apple destacou a inicialização instantânea e a abertura de apps com rapidez. Além disso, o MacBook Air também ganhou o Touch ID, para que o usuário consiga se autenticar com a mesma praticidade do iPhone.

Apesar de contar com o novo processador M1, o preço segue o mesmo do Air atual nos Estados Unidos, US$ 999 (ou cerca de R$ 5.374). No Brasil, com os impostos, o computador custa a partir de R$ 12.999 no Brasil. Saiba mais sobre o MacBook Air no site da Apple.

Mac Mini também não tem mais ventoinha

Mac Mini com Apple M1

Assim como o MacBook Air, o Mac Mini não conta mais com uma ventoinha, o que é realmente uma ótima notícia. O MacMini custa R$ 8.699 no Brasil, e US$ 699 lá fora. Saiba mais sobre o pequeno computador da Apple.

MacBook Pro

MaBook Pro com Apple M1

A Apple também colocou o Apple M1 em seu MacBook pro de 13,3 polegadas, que agora conta com uma bateria de até 20 horas de duração, segundo a empresa. O novo modelo também conta com Touch ID, assim como o Air. O Mac|Book Pro pode ser configurado com até 16 GB de RAM e um SSD até 512 GB. Por enquanto, o modelo de 16 polegadas ainda não foi atualizado com o novo processador.

O MacBook Pro custa bem mais caro que os outros, R$ 17.299 no Brasil, ou US$ 1299 lá fora. Saiba mais sobre ele.

Olho no futuro, mas com um apelo ao saudosismo

A pré-venda nos Estados Unidos começa hoje, com entrega prevista para as próximas semanas, mas no Brasil, ela ainda não tem data para chegar. Além disso, a Apple também confirmou o lançamento do MacOS Big Sur para a próxima terça, dia 12/11.

Outra novidade que vai agradar aos saudosistas (como eu) é que o tradicional barulho de inicialização dos Macs está de volta. No final do keynote, ainda tivemos a presença de John Hodgman, que fazia o papel do PC no velhos comerciais da campanha Get a Mac (I’m a Mac, I’m a PC), exibida de 2006 a 2009.