Vida Celular

Tudo sobre os melhores celulares

Não é mistério por que a Samgung domina o mercado de smartphones na Coreia do Sul. É o quintal da casa onde nasceu. A Samsung é, de longe, a maior multinacional Coreana.

No entanto, a Apple agora quer jogar “areia na farofa” da Samsung e competir  pelo mercado de smartphones coreano. A empresa quer expandir sua presença no varejo e oferecer mais  “lojas expressas”, espaços onde os consumidores podem retirar produtos comprados online ou pedir suporte  técnico no Genius Bar.

publicidade
Apple X Samsung

A Samsung conseguiu melhorar ainda mais sua participação no mercado de smartphones na Coreia do Sul. Só no segundo trimestre de 2020, respondia por 67% de todo o mercado de smartphones vendidos no País.

Por outro lado a Apple vem ganhando terreno de forma consistente, obtendo até um ligeiro crescimento. Também no segundo trimestre, respondeu por 19% das vendas de  smartphones para o mercado coreano.  O destaque foi para o iPhone SE – o aparelho mais vendido no período, seguido pelo Samsung Galaxy S20 + e Galaxy S20.

A primeira loja expressa da Apple na Coreia do Sul foi inaugurada em outubro de 2018 na área nobre de Garosu-gil em Seul. Em alguns países, essas lojas se tornaram pontos turísticos. Como por exemplo na loja da Quinta Avenida em Nova York, ou em Tóquio ou mesmo no Regent Street, em Londres. A Apple vai apostar pesado que essa estratégia é a maneira perfeita de atrair visitantes que podem acabar comprando mais os seus produtos.

Até por isso a empresa vai abrir sua segunda loja na Coreia do Sul, em um shopping muito frequentado no centro financeiro próximo ao Parque Yeouido Hangang, em Seul.  A loja já está em fase de finalização e tem inauguração prevista para este ano.

publicidade

Não bastasse inaugurar uma segunda loja, há rumores inclusive que a Apple pode estar planejando abrir a terceira loja expressa na Coreia do Sul, em uma área badalada, frequentada por jovens e turistas de Seul.

Mercado aquecido

Um dos motivos que levaram a Apple a “crescer o olho” no mercado coreano se deve ao fato de a Coreia do Sul ter sido o primeiro país do mundo a comercializar redes 5G públicas. Neste país a disponibilidade das redes 5G para acesso público, é muito melhor do que na maioria de outros países que também já adotaram o 5G.

Vale lembrar que desde 2019 a  Samsung vende telefones 5G e tem ampliado cada vez mais  seu leque de opções. Mesmo ainda um pouco tímida, se comparada à Samsung, a  Apple também lançou recentemente  seus primeiros iPhones habilitados para 5G. A empresa não perdeu tempo e já anunciou que vai aumentar sua participação no mercado ao lançar novos modelos logo no início de 2021.

Os primeiros sinais já são promissores. A imprensa coreana publicou que a Apple vendeu só em novembro, quase 600 mil unidades do iPhone 12. Isso representou um aumento de cerca de 30% nas vendas em comparação com os iPhones anteriores em seus lançamentos. Se continuar assim mais cedo do que imaginamos a Apple pode atingir a Samsung onde dói mais: no bolso.

Não é uma empreita impossível. A Apple já desbancou outras marcas nacionais. A Maçã ostenta uma participação de mercado bem superior a 60% no Japão, apesar de concorrentes locais como a Sony.

Mas a companhia coreana também tem outra carta na manga: na Coreia do Sul a maioria dos usuários compra seus telefones por meio de operadoras devido a forma como alguns subsídios funcionam por lá. A “pegadinha” é que no País, é a Samsung quem negocia direto com as operadoras de celular. De forma que essa é uma carta na manga que a  companhia deve aproveitar  para manter a Apple sob controle. Que comecem os jogos!

Via Sammobile